Posts Marcados progressivo

Entrevista Exclusiva – MindFlow

Por Isabella Brendler

Durante os últimos 6 anos, o MindFlow vem vivendo uma carreira nas intermináveis estradas no Brasil e no exterior. Depois de produzirem e promoverem sozinhos os dois primeiros discos, “Just the two of us…Me and Them” (2004) e “Mind Over Body” (2006),  desenvolveram uma base fiel de fãs ao redor do mundo. O terceiro disco, “Destructive Device“, produzido por Ben Grosse (Megadeth, Slipknot, Disturbed etc.), alcançou um sucesso admirável, levando a banda à apresentações em festivais nos Estados Unidos, Europa e Sudeste Asiático. Através do “Street Team”, que possibilita contato direto com os fãs, de disponibilizações gratuitas de suas músicas e da forte participação nas redes sociais, o MindFlow pode ser chamado de uma banda mais do que moderna. Nesta entrevista exclusiva para o Roque Veloz, os caras contam o que esperar daqui pra frente.

LINE-UP:
Danilo Herbert (vocais), Rafael Pensado (bateria), Ricardo Winandy (baixo) e Rodrigo Hidalgo (guitarra).

CONTATO:
http://www.mindflow.com.br/
http://www.myspace.com/letyourmindflow

Roque Veloz: Ao criar o MindFlow, qual era a ideia principal? Essa ideia mudou muito conforme o tempo foi passando?
Rafael Pensado: A idéia inicial do MindFlow era de criar músicas próprias baseadas nas influências individuais e mesclando tudo o que gostamos de ouvir. Essa idéia não mudou, mas evoluiu.

Roque Veloz: Que bandas brasileiras atuais vocês admiram? O que vocês tem a dizer sobre o atual cenário musical do país?
Rafael Pensado: Existem algumas bandas de diferentes estilos que eu particularmente respeito muito, no cenário metal, gosto muito do Torture Squad, Threat, Korzus,Hangar assim como o MindFlow, são  ou foram por muito tempo bandas independentes e sempre levaram a sério seus trabalhos, de fora da cena metal, Paralamas do Sucesso, Skank são bandas que estão juntas há muitos anos e sempre foram extremamente profissionais e dedicados aos fãs.

Leia o resto deste post »

, , , ,

2 Comentários

Nota de imprensa sobre saída de Mike Portnoy do Dream Theater por Jordan Rudess

Fonte: http://jcrudess.wordpress.com/2010/09/09/dream-theater-press-release/

To all of our loyal fans and friends: It is with
profound sadness — regret — we announce that Mike
Portnoy, our lifelong drummer and friend, has
decided to leave Dream Theater. Mike’s stature in
the band has meant the world to all of us
professionally, musically, and personally over the
years. There is no dispute: Mike has been a major
force within this band.

While it is true that Mike is choosing to pursue other
ventures and challenges, we can assure you
that Dream Theater will continue to move forward
with the same intensity — and in the same musical
tradition — that you have all helped make so
successful, and which is truly gratifying to us.

Fans and friends: File this episode under “Black
Clouds and Silver Linings.”As planned, we begin
recording our newest album in January 2011, and
we’ll follow that with a full-on world tour. “The Spirit
Carries On.”

All of us in Dream Theater wholeheartedly wish Mike
the best on his musical journey. We have had a long
and meaningful career together. It is our true hope
that he finds all he is looking for, and that he
achieves the happiness he deserves. He will be
missed.

——————-

Tradução. Relevem os erros por favor:

Para todos nossos caros fans e amigos: é com muita tristeza – arrependimento – que nós anunciamos que Mike Portnoy, nosso bateirista de toda vida e amigo, decidiu deixar o Dream Theater. O tamanho de Mike na banda foi muito importante para todos nós profissionalmente, musicalmente e pessoalmente dentre os anos. Não há disputa: Mike foi uma força maior nesta banda.
Por enquanto é verdade que Mike está escolhendo seguir outras aventuras e desafios, podemos afirmar que o Dream Theater continuara a seguir em frente com a mesma intensidade – e na mesma tradição musical – que vocês todos tem ajudado a fazer muito sucesso, e que nos faz tao gratos.
Fans e amigos: Guarde esse episódio sobre “black clouds and silver linings”( ultimo album de estudio da banda – nuvens negras e esse “silver lining” tem o mesmo sentido de “luz no fim do tunel” , demonstrando que mesmo em maus periodos há esperança. Silver ining referido é o contorno dourado que se pode observar em vola de nuvens negras durante dias ensolarados.). Como planejado, nos começaremos gravando nosso mais novo album em 2011, e continuaremos em uma world tour completa. “The spirit carries on” ( o espirito continua, referencia a musica do album “scenes from a memory (1999/2000).)
Todos nós do Dream Theater desejamos de todo coração o melhor para Mike em sua jornada musical. Nós tivemos uma longa e significante carreira juntos. é nossa real vontade que ele ache oque está procurando, e que ele alcance a felicidade que ele merece.Nós sentiremos sua falta.
LONG LIVE DREAM THEATER!

Foto tirada no ultimo show do Dream Theater em São Paulo - 2010

* Escrito por Bruno, um fã que está completamente arrasado com a noticia =/
** Esse post não foi um review de um album…mas tive que escrever. Voltamos com nossa programação normal no prox. post ;D
***  A nota de imprensa traduzida de Jordan Rudess sobre a saida de Portnoy do Dream Theater, voce viu primeiro aqui ;D

, , , , , , , , , , ,

2 Comentários

(1977) Pink Floyd – Animals

Em 1977, a banda Pink Floyd lançou um dos seus melhores álbuns: Animals.

Animals trata-se de uma obra conceitual, composta por Roger Waters, baseada no livro “A Revolução dos Bichos” (Animal Farm) de George Orwell. O album fala de três animais diferentes, e cada um deles possui suas características: Pigs (porcos) , representam os líderes fanáticos e autoritários, os políticos corruptos e os moralistas (com referências diretas a Margaret Thatcher e a Mary Whitehouse); Dogs (cães), os “impositores da lei”, que forçam leis sobre o povo e Sheeps (ovelhas), o povo, inocente e sem pensamento próprio, facilmente manipulado.

Melhor música: Dogs

Pior musica: Pigs on the wing (ambas as partes).

1 – Pigs on the wing 1 (3/5)

Pigs on the wing, ambas as partes, são musicas de abertura (prólogo) e encerramento ( epílogo) do album, sendo esta o prólogo. É uma música bem legal, com violão e contagem de tempo variada, com bastante quebra de tempo. Contudo, não é nada relevante se comparado ao resto do álbum. A letra de Pigs on the wing será explicada juntamente com sua segunda parte, mais á frente.

Leia o resto deste post »

, , , , ,

3 Comentários

(1973) Pink Floyd – The Dark Side of The Moon

Capa do album

“The Dark Side of The Moon” é o nome do oitavo albúm da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd. É um albúm conceitual que fala das pressões da vida, como tempo, dinheiro, guerra, loucura e morte.

Por muitos, é considerado o melhor albúm do Pink Floyd. A partir desse album, a banda começa a soar menos “psicodélica” (Como em “Atom heart Mother” e “The Piper at the gates of dawn”).É um marco na história do Rock progressivo, pois possui musicas que acabaram sendo muito bem aceitas pelas rádios da época e de até hoje (como Money e Time).É, também, um dos albuns mais vendidos da história.

A capa não possui nenhum significado particular.

Enfim, é indispensável para qualquer pessoa que queria começar á decobrir o rock progressivo.

Melhor música: Time

Gosto bastante da atmosfera de Time. Comentarei mais á frente sobre isso

Pior música (menos melhor haha): Any Colour you like


Apesar de ser um instrumental bem legal, é a música mais “fraca”do album.

LP original de 1973

Cada lado do album é uma continua peça de música.As cinco faixas em cada lado refletem varios estagios da vida humana, começando e terminando com batidas de coração, explorando a natureza da experiencia humana e, ( de acordo com Waters) , “empatia.”

Lado A

  • 1-“Speak to Me
  • 2- “Breathe (Nick Mason, David Gilmour, Roger Waters, Rick Wright) – 3:59 (5/5)

Uma ótima maneira de se iniciar um album conceitual. Inicia com batidas de coração e algumas vozes…então esse “fundo” vai crescendo até chegar na música “Breathe”.

Breathe é uma música linda. Uma melodia um tanto quanto “funk”, contudo, com muito felling.Não há como não cantar “breeeaathee…breathe in the aiiirr”.

A musica enfoca o “stress”continuo enquanto vivemos ( “don’t be afraid to care”).

Leia o resto deste post »

, , , , ,

2 Comentários

%d blogueiros gostam disto: