Posts Marcados década de 70

(1976) Kiss – Destroyer

Após a sequência dos 3 primeiros álbuns de estúdio, que apesar de muito bons, não venderam nada, o Kiss e a Casablanca Records estavam totalmente falidos. A última cartada foi o lançamento de um álbum duplo ao vivo, o lendário Kiss Alive!, que foi chamado de loucura por muitos, afinal, se as pessoas não queriam comprar álbuns normais do Kiss, por que comprariam um ao vivo e duplo? Mas o Deus Metal não é Deus a toa, e o Alive! vendeu bem, levando à uma grande ascensão comercial dos 4 mascarados de New York. A questão agora era como manter o nível, já que os álbuns de estúdio anteriores não haviam agradado? Com a proposta de levar o som do Kiss a um outro nível de qualidade, foi contratado o produtor Bob Ezrin, famoso pelo trabalho com Alice Cooper. Ezrin além de produtor, é uma mente brilhante no meio musical, e é notável que os álbuns que ele produz, têm muito coisa dele além da produção em si. Assim nasceu Destroyer, o álbum mais famoso da carreira do Kiss, tido como modelo na concepção de outros álbuns, como Revenge (1992, este também produzido por Ezrin) e Psycho Circus (1998), que são claramente tentativas de recriar o Destroyer. É sem dúvida o álbum que eu indicaria pra quem pretende conhecer o Kiss. Portanto, “Shout It Out Loud, ‘cause you gotta lose your mind in Detroit Rock City!”

Melhor música: Detroit Rock City

Pior música: King Of The Night Time World

1 – Detroit Rock City (Stanley/Ezrin) (5:20) 5/5

E tem como dar nota menor que isso pra essa música? De início temos um som de motor e o que parece ser um noticiário no rádio, falando sobre um acidente de trânsito entre um carro e um caminhão. O carro segue seu caminho enquanto toca um trecho da faixa “Let Me Go Rock’n’ Roll” do álbum Hotter Than Hell de 1974. E começa então aquela intro que todo mundo conhece, com os versos clássicos, que dispensam comentários. A linha de bateria simples, porém bastante presente de Peter Criss, e chegamos ao solo, também simples, mas emblemático, além de ser um dos primeiros solos de guitarras dobradas de que se tem notícia. A faixa termina no ápice com o som de um acidente de trânsito. “Detroit Rock City” é sem dúvida uma das músicas mais conhecidas dos caras, estando presente em todas as turnês desde seu lançamento, sempre com bastante pirotecnia, marcando um ponto alto nas apresentações do Kiss.

Leia o resto deste post »

, , , , , , , , ,

1 comentário

(1975)Queen – A night at the opera

Esse podemos dizer que é um dos álbuns mais importantes e influenciadores da história do Rock. Mostra o amadurecimento da banda e também expõe sua característica nos anos 70, que é bem mais pesado adicionado a música clássica e a ópera, que é bem explícita nesse álbum.

Melhor Música: Bohemian Rhapsody

Pior Música: Sweet Lady

Leia o resto deste post »

, , , , , , ,

1 comentário

(1977) Pink Floyd – Animals

Em 1977, a banda Pink Floyd lançou um dos seus melhores álbuns: Animals.

Animals trata-se de uma obra conceitual, composta por Roger Waters, baseada no livro “A Revolução dos Bichos” (Animal Farm) de George Orwell. O album fala de três animais diferentes, e cada um deles possui suas características: Pigs (porcos) , representam os líderes fanáticos e autoritários, os políticos corruptos e os moralistas (com referências diretas a Margaret Thatcher e a Mary Whitehouse); Dogs (cães), os “impositores da lei”, que forçam leis sobre o povo e Sheeps (ovelhas), o povo, inocente e sem pensamento próprio, facilmente manipulado.

Melhor música: Dogs

Pior musica: Pigs on the wing (ambas as partes).

1 – Pigs on the wing 1 (3/5)

Pigs on the wing, ambas as partes, são musicas de abertura (prólogo) e encerramento ( epílogo) do album, sendo esta o prólogo. É uma música bem legal, com violão e contagem de tempo variada, com bastante quebra de tempo. Contudo, não é nada relevante se comparado ao resto do álbum. A letra de Pigs on the wing será explicada juntamente com sua segunda parte, mais á frente.

Leia o resto deste post »

, , , , ,

3 Comentários

(1970) Black Sabbath – Black Sabbath

Capa

O ano é 1970, e o mundo é presenteado com um dos melhores álbuns já feitos na história do Heavy Metal. Muitos dizem que aqui é o começo de tudo….o começo do som pesado, das guitarras distorcidas, da batida acelerada! Taxado de demoníaco Black Sabbath atingiu a 8ªposição nas paradas inglesas e é um dos melhores discos desta banda que atingiu um patamar supremo na história do Rock’n Roll! Demoniaco, pesado, instigante e medonho….assim era o trabalho de estreia do Black Sabbath! Vale destacar que esse álbum foi gravado em apenas 3 dias e para ser gravado foi usado 600 libras (migalha na época)!

Melhor Música: Black Sabbath

Pior Música: Behind the Wall of Sleep


1 – Black Sabbath (6:21) – (Iommi, Ward, Ozzy, Butler)     5/5

E aqui está por muitos considerada a primeira música de Heavy Metal da história! A atmosfera aqui é totalmente fantasmagorica e sombria… Muitos religiosos acusaram essa obra prima de satânica, por causa das caracteristicas acima citadas e por causa de sua letra referente ao demônio… Ozzy ja se pronunciou inúmeras vezes a respeito dela e disse que a letra não trata do demônio, e sim de um filme de terror( de Borlis Karloff, famoso ator de filmes de terror mudo) que ele assistira junto com Bill Ward ( Baterista) na época!! Sendo explicitamente demoniaca ou não Black Sabbath é um clássico e dá  as boas vindas do Black Sabbath. A guitarra de Iommi aqui é algo extraordinário!

Leia o resto deste post »

, , , , , ,

1 comentário

(1977) Queen – News of the World

Capa

Uma das melhores e mais influentes de todos os tempos, o Queen apresenta esse que se tornou um dos principais álbuns da banda e até hoje escutamos em todos os lugares ao menos uma música desse que tem grandes clássicos da história do rock.

Melhor música: “We Will Rock You”

Pior Música: “Sleeping on the Sidewalk”

*Ordem das músicas de acordo com a ordem do Vinil.

Lado A:

1 – “We Will Rock You” (Brian May) – (2:01) 5/5

Um dos grandes clássicos da história do rock mundial. Sua batida da bateria e seu refrão em coro são lembrados por muitos.  Além de sua antológica batida, tem um solo com uma grande atuação, particularmente falando, de um dos meus guitarristas mais influentes, Brian May.

Leia o resto deste post »

, , , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: