(1969) Led Zeppelin – Led Zeppelin I


” Na primeira vez que eu ouvi o primeiro álbum do Led Zeppelin tive a sensação que Deus estava saindo das caixas de som”

Tom Hamilton – Aerosmith

Sempre quis ser um astro do rock, sempre quis aprender a tocar algum instrumento e a agitar milhares de pessoas em shows lotados com a minha ilusória banda. Sempre quis dar autógrafos para meus fãs loucos que fariam qualquer coisa por mim. Sempre quis ter milhares de groupies e ter grana para comprar tudo que eu quisesse…  Sempre quis, mas até agora nunca consegui nada disso …. Até 1968 os integrantes da até então desconhecida banda chamada Led Zeppelin estavam no mesmo barco que você agora, não tinham merda nenhuma, nada de realmente especial em suas vidas, Jimmy Page e John Paul Jones porém já tinham gravado algo com os Rolling Stones, toda via eram meros desconhecidos…

A história deles mudou em 1969, quando resolveram gravar o primeiro álbum…

Capa, que retrata uma tragédia real da explosão do dirigível LZ 129 Hindenburg

Capa, que retrata uma tragédia real da explosão do dirigível LZ 129 Hindenburg

Produzido por Jimmy Page, Led Zeppelin I possui momentos brilhantes e épicos de uma história que foi marcada com sucessos, polêmicas e tragédias. A mistura de talentos individuais aqui é nítida em músicas que mais tarde viriam a se tornar hinos. A influência blues mascarada por um Hard Rock pesado fez deste álbum de estréia um dos mais bem sucedidos do ramo do Rock. Nesse álbum começava também a polêmica que sempre perscrutou a banda sobre os plágios, alguns artistas declaram abertamente que foram copiados pelos americanos descaradamente.

Note que Jimmy Page assina quase todas as faixas.

Melhor Música: (Dificil) —> How Many More Times

1 – Good Times Bad Times ( Jimmy Page, John Paul Jones, John Bonham) (2:46) 5/5

Em uma época em que o progressivo estava começando a ganhar forças com bandas como Supertramp, Yes e Pink Floyd, surge o Led Zeppelin… E este surge dando uma voadora em todo mundo com seu hit de abertura.

John Bonham está endemoniado nesta faixa  que entraria no hall das mais aclamadas da banda, preste atenção em suas baquetas e você entenderá o que eu estou falando: técnica apuradíssima e harmonia plena com o exuberante baixo de Jones. Em menos de 3 minutos o Led Zeppelin bota na panela todos os ingredientes para se fazer um puta rock’n roll. Gosto bastante também do refrão que mesmo curto empolga e da linha do baixo de Jones nessa faixa. Abertura melhor quase impossivel.

2 – Babe I’m Gonna Leave You (Anne Brendon, Jimmy Page, Robert Plant) (6:41) 5/5

Se na primeira faixa tive que venerar Bonham, nesta outra me rendo à Robert Plant que é capaz de causar calafrios em todo mundo aqui, acho quase impossível achar um cantor que demonstre tanta emoção quanto Plant, o cara tem o Dom de botar raiva, amor, ódio em muitas coisas que canta e você consegue sentir isso…

Enquanto Plant extravaga sua emoção gritando a letra romântica da segunda faixa, Jimmy Page faz com seu violão milhares de pessoas exclamarem:  CARALHOO! Após pegar a guitarra e dar um peso à balada  o riff se torna mais simples, mas a canção não deixa de ser épica. Típica canção que você começa a tocar guitarra no ar sem perceber de olhos fechados e isso para qualquer banda, deve ser a redenção …. PERFEITA DE MAIS!

3 – You Shook Me (J.B Lenior, Willie Dixon) (6:28) 5/5

Uma faixa completamente sexual …..

A influência blues se mostra excessiva nessa canção que possui um andamento mais lento do que as músicas tocadas anteriormente, o riff do baixo de Jones viria a se tornar clássico com a levada calma e suave. Os diversos solos apresentados como o de gaita e o de órgão agradam e me dão vontade de acender um cigarro, mesmo não fumando …. Então você que fuma, aproveite a oportunidade… O final dessa faixa, foi o que me fez dar nota máxima a ela, simplesmente espetacular a guitarra de Page imitando Plant, simplesmente espetacular e magistral ….

O fim dessa faixa se confunde com o inicio de outro clássico …

4 – Dazed and Confused (Jimmy Page) (6:26) 5/5

O Black Sabbath inventou o Heavy Metal, ou foi o Led Zeppelin com Dazed and Confused?

Talvez essa pergunta acima gere alguns conflitos … Se o tal do Sr Deus, citado por Hamilton lá em cima saísse da caixa de som, certamente ele sairia nessa faixa. Mais uma vez a perfeição exala, a letra romântica ( como sempre ) cantada por Plant em um clima meio obscuro dado pela linha EXCEPCIONAL do baixo de Jones é uma declaração de amor fraca, perto de outras letras que a banda já fez, mas a letra não importa aqui. Preste atenção em Jones e em Bonham, você terminará de ouvir essa faixa e sentirá vontade de tocar ou baixo ou bateria instantaneamente. Em alguns concertos da banda essa faixa chegou a ter até 30 minutos.

Uma das minhas faixas favoritas do Zeppelin, a atmosfera aqui é simplesmente sensacional …. BEEN DAZED AND CONFUSED FOR SO LONG.

Observação: Quando se escuta músicas como essa, fica difícil gostar de alguma coisa atual.

5 – Your Time is Gonna Come (Jimmy Page, John Paul Jones) (4:14) 5/5

O que aconteceu com o Rock’n Roll? Cadê as introduções magistrais como essa? Cadê as faixas com Órgãos? Se você acha que Órgão é uma merda, escute a introdução dessa faixa…

Qualquer semelhança é mera coincidência, Sweet Home Alabama, me recorda um pouco essa faixa, que sem a menor sombra de dúvidas é a mais fraca do álbum…. TODA VIA, a faixa mais fraca é ótima e também merece nota máxima. O Led usa os backings com perfeição no refrão que adentrará sua cabeça por um bom tempo. O violão de Page mesmo tímido ao fundo toca um riff  “alegre” e viciante. Volto a repetir, faixa sensacional, mesmo sendo a pior.

6 – Black Mountain Side (Jimmy Page) (2:05) S/N

Uma preparação para o que viria a seguir com um swing árabe tocado por Page, ao menos me lembra algo das arabias isso aqui …. Vale ressaltar que nessa faixa há um instrumento de percussão indiano chamado tabla.

7 – Communication Breakdown (Jimmy Page, John Bonham, John Paul Jones) (2:27) 5/5

Quando centenas de covers são feitos para uma música, esta deve ter algo de especial …. Soundgarden, Sebastian Bach, Slash e Paul Gilbert entre outros copiavam algo que sabiam nunca serem capazes de fazer ….

Um riff cortador de cabeças de Page e Jones, junto com uma melódia acelerada que te faz querer banguear, Communication Breakdown contava ainda com um solo rápido ( no quesito tempo e no quesito velocidade) de Page, que deu uma de backing vocal e cantou ainda o pequeno chorus da música junto com seu camarada Robert Plant. Rock curto, como muitos acham que deve ser, mas empolgante e matador.

8 – I Can’t Quite You Baby (Dixon) (4:42) 4/5

Vamos ouvir Blues :

O Blues toma conta do tape. Talvez essa seja a canção que mais fuja do que o álbum foi até aqui. Com quase 5 minutos I Can’t Quite You Baby mostra as raízes do Zeppelin e suas influências, mas se torna bastante cansativa também… Um andamento lento de riff cadenciado de Jones e inúmeros solos de Page que mostra uma técnica acima da média não dão conta de fazer a música se tornar boa. Técnicamente falando ela é acima da média, com Plant alcançando notas altas e Page solando com maestria. Talvez essa seja uma preparação, um aquecimento da banda, para a próxima faixa …. o ápice de tudo ….

9 – How Many More Times (Jimmy Page, John Bonham, John Paul Jones) (8:28) 5/5

AS MANY AS POSSIBLE PLEASE ……..

Oh Rosiiiiie, Oh Giiirl , Steal Away Now, Steal Awaaay …. 

Foi difícil escolher a melhor música desse álbum, quando hinos eram distribuídos a cada instante. How Many More Times merece estar no topo dessa lista por representar em quase seus 9 minutos tudo o que o álbum foi até aqui. A faixa não teve um apelo comercial muito grande, sendo pouco conhecida, e pouquíssimas vezes (ou nunca) foi tocada nas rádios. Um som que tende para o Blues é notado no começo espetacular da faixa, mas o blues não é a única coisa que impera por aqui. Bonham e Page em certo momento parecem disputar quem é o melhor no que faz, um estraçalhando a bateria e o outro tocando com maestria. Feche os olhos e apenas curta uma das melhores músicas que esse tal de Rock’n Roll já nos presenciou …..  E TENTE NÃO CANTAR COM PLANT A PLENOS PULMÕES : Oh Rosiiiiie, Oh Giiiiirl, Steal Away Now, Steal Awaaaaaaaay….. SE VOCÊ CONSEGUIR VOCÊ É FODA!

ÉPICA, CLÁSSICA que encerrava da melhor forma possível este que foi um dos melhores álbuns de estréia de todos os tempos …. Opa, um dos melhores álbuns de todos os tempos.

MÉDIA DO ÁLBUM: 10/10

” GOOD TIMES, BAD TIMES,

  YOU KNOW I HAD MY SHARE”

, , , , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: