(1980)Iron Maiden – Iron Maiden


Toda lenda começa em algum lugar e a Banda Iron Maiden deu inicio a sua lenda no dia 14 de abril de 1980 com o álbum IRON MAIDEN.

Pois bem, o que fez a banda começar tão bem? Qual é a do sucesso desses monstros do heavy metal?

Antes mesmo do primeiro LP ser vendido eles já faziam sucesso vendendo tapes, chegaram a tocar aproximadamente três anos sem ter um álbum, os membros da banda queriam tocar Heavy Metal, porem Paul Di’Anno era fã de punk… Eles fizeram um grande bola gato e misturaram os dois estilos, o que deu muito certo, de inicio.

Logo mais lançaram o primeiro álbum, sucesso instantâneo, abriram show pro KISS e JUDAS PRIEST, bem acho que já falei demais sobre historia, borá pra resenha.

Formação da banda :

Steve Harris (Baixo)

Paul Di’Anno (Vocal)

Dave Murray (Guitarra)

Dennis Stratton (Guitarra)

Clive Burr (Bateria)

1. “Prowler” (Harris) – (4:16)  4/5

Logo de cara temos ‘vagabundo’, a letra não é grande coisa ao menos eu não curto muito ela, por não ter muito conteúdo se torna repetitiva depois de um tempo.

Já da pra perceber o “Heavy Metal Hardcore” como gostaria de nunca escrever isso na minha vida, porem o fato é que eles não ‘misturaram’ ta mais pra uma guitarra faz o riff hardcore e outra segue o metal cru e sem frescura que todos amamos.

Um esquema que eu curto é a guitarra acompanhando o vocal e usando vários ligados em todo lugar e isso fica bem presente no inicio da música e em algumas outras partes, uma alternada bem elaborada pra não ficar chato ouvir o lick por trás do vocal sempre.

O riff mais hardcore percorre a maioria da música só dando uma pausa no solo e seus ‘arredores’, a linha da batera não se alterna muito e mesmo assim consegue prender a atenção mantendo a batida com pratos/chimbal e vez ou outra socando tudo com umas viradas fodas, na ponte pro solo e no solo o senhor Clive arrebenta.

O baixo não se apresenta muito aqui, não sei por que, todos sabemos o monstro que o senhor Harris é, ele apenas se manifesta numa pequena parte antes do solo junto com a guitarra.

QUASE, DIGO QUASE ME ESQUECI DE COMENTAR DO SOLO, que crime isso…

O que temos nessa música é bem simples e viciante, não é solo que enfia uma guitarra no seu cérebro e sai rasgando sua massa cinzenta até você cuspir demônios e fogo, a banda simplesmente te vicia, hipnotiza com os ligados e bends virtuosos e sem se demorar voltam pra música, como já disse o único quesito que pecam é a letra que se torna repetitiva rápido demais.

2. Remember Tomorrow (Harris/Di’Anno) 2/5

Temos uma contradição nessa música, quem queria algo mais hardcore era o Di’Anno, mas se compararmos essa faixa com a anterior(onde ele não participa da composição) da pra perceber bem de cara que essa é mais ‘obscura’, mais metalzinho mesmo.

A guitarra sinistra é bem enjoada, logo de cara já se cansa dela e o Senhor Di’Anno cantando mais melodicamente por assim dizer… Digamos que não é o ponto forte dele.

A linha de baixo é bem marcante, fica ecoando pela cabeça durante um bom tempo, diferente da faixa anterior já da pra perceber as habilidades do Senhor Harris.

A bateria não leva nenhum elogio especial, ela permanece estável sem dar nenhuma surpresa ou algo que realmente solte aos olhos.

Alguns minutos da faixa são acelerados e pesados,e admito que são mais contagiantes, mas isso não muda o fato de que não estão muito bem colocados, talvez se fosse um pouco mais curto pudesse ser mais atrativa.

3.Running Free (Harris/Di’Anno) 5/5

Realmente não tem como falar mal da Running Free, a bateria FINALMENTE se mostra mais habita a acompanhar a banda e também mostra uma empolgação maior nas batidas.

O baixo destrói logo de cara viciando qualquer um que goste da entonação mais grave e de um riff contagiante que permanece pela música inteira. Nisso entra a guitarra com uma distorção bem de boas e seus riffs bem simples também apenas preenchendo o som junto com o vocal.

Temos alguns momentos bem legais de guitarra que eu sinceramente não consigo descrever é só escutando mesmo.

Legal é que essa música está botando pra foder na nova turnê da Banda ‘The Final Frontier’, o único trágico é olhar pro lado e alguém gritar ‘vai tocar running wild’… RUNNING WILD NO SEU RABO, SÓ SE FOR.

4.Phantom of the Opera (Harris) 5/5

Sempre fico todo sentimental quando chega nessa faixa, como gostaria que bandas atuais imitassem essa aqui na cara larga, quando procurar no dicionário definição de Heavy Metal essa música vai estar do lado, pelo menos pra mim.

O fato é que tudo nela é perfeita, não temos como negar, a guitarra EXPLODE do começo ao fim, já começa com os ligados fodendo e aceleram pro riff que alavanca com um ‘oh yeah’ orgasmatico do Paul, a bateria destrói em todos os momentos que esta tocando, ainda mais num momento que se sincroniza com a guitarra, então o Paul começa a cantar e ai meu deus, a guitarra vai com ele no canto e quando ele manda um ‘ohhhhhh’ mais alongado voltamos ao riff, começo bem de boas, claro as cavaladas do Harris estão por todo lado.

Eis que mudam o ritmo da música, suavizando o ambiente com uma pegada diferente da guitarra e um canto mais falado do Paul com um backvocal muito show, aqui não demora muito e temos o primeiro solo que é muito, muito, muito lindo bem lerdinho com bends afinados e maravilhosos é coisa de outro mundo.

AI RAPAZ o senhor Harris decidi que tudo isso era pouco e bota pra fuder, junto com a guitarra, chega a ser poético ainda mais quando a bateria entra, eles ficam um bom tempo nessa brincadeira antes de vir o segundo solo é ligeirinho, mas vale a pena ver de novo e de novo e de novo e de novo, depois disso eles meio que ‘retrocedem’ pela música e terminam.

5. Transylvania (Harris) 5/5

Você deve estar pensando, ‘não tem como ele chupar mais as bolas da Iron Maiden’, a rapaz você está tão errado, como eu me demorei demais na outra irei ser mais objetivo nessa.

LINDA, PERFEITA, DEVERIA SER UM HINO.

É solo, é base, é Lick, é bateria, É BAIXO, olha dizem que imagens valem mais que palavras, imagens que se mexem e fazem som deve valer horrores, entendam o que eu digo com a música em si.

6. Strange World (Harris) 1/5

Olha na minha singela opinião depois de tudo que eles fizeram até agora essa faixa cria um contraste muito grande, por ser uma faixa mais mórbida e chata, o solo é bacaninha(não mais do que isso), mas o resto fica repetido, fora que o Paul deve ter levado um chute nas bolas e ido cantar, por que parece que ele está morrendo quase.

Eu de você pulava essa, mas claro esse sou eu falando cada macaco com sua banana.

7. Charlotte the Harlot (Murray)  4/5

Composição do Senhor Murray uhuuuuu, é uma faixa bem animada que recupera o que a Strange World tirou.

O riff da guitarra é muito grude assim como o vocal, a bateria está muito show, acho que do álbum é uma das melhores linhas que tem, o fato é que perto do final o Dave aparece e bota pra fuder prova disse é o solo que é bem diferente dos anteriores, abusando MUITO da velocidade, o único ruim é que conseqüentemente termina rapidinho.

Não tenho muitos elogios é uma faixa boa, tem algumas mudanças no ritmo que ficam bem interessantes, é difícil brincar de ‘lerdo e divagar’ sem prejudicar a música e felizmente o Mestre dos magos consegue fazer de tudo como bem quiser.

8. Iron Maiden (Harris)  5/5

RAIRIARIAIRIARIAIAIIRIRIAIRIAIRAIRARIARIAIRARIA MAIDEN MANOLO.

A faixa titulo fica pro final e PQP que faixa titulo, devia ser lindo ver essa ao vivo quando a banda tocava apenas em barzinhos sujos, o que acontece é inexplicável um frenesi controla seu corpo e vai que vai.

A música mais ‘crua’ do álbum prova que não é preciso milhões de coisas pra fazer algo bom, só precisa do Harris mesmo, o cara é fudidamente foda em compor, pois bem a guitarra começa no riff fudido e a segunda entra, quando a bateria começa a espancar tudo junto com o baixo e o Paul entra falando que quer ir pro quarto seduz legal. (que bosta de piada)

O refrão é gostoso de ouvir, cantar, pular, se jogar, o fato que comprova a fudileza dessa música é que é tocada até hoje e convenhamos 31 anos tocando ela sem perder o pique é difícil.

Media do álbum : 7,5.

Faixa bônus,

Sanctuary (Harri/Di’Anno/Murray)

Funciona assim, Sanctuary devia estar no LP Iron Maiden, mas devido à capa do single foi censurado, na capa temos o mascote Eddie assassinando a então primeira ministra da Inglaterra, Margaret Thatcher.

Depois de toda frescura passar temos alguns álbuns do Iron Maiden com as seguintes faixas:

1.Prowler
2. Sanctuary
3. Remember Tomorrow
4. Running Free
5. Phantom Of The Opera
6. Transylvania
7. Strange World
8. Charlotte The Harlot
9. Iron Maiden

A faixa Sanctuary só foi aparecer mesmo no álbum em 1998 e em alguns ela está como sétima faixa (entre Strange World e Charlotter The Harlot), mas se liga no detalhe tanto a versão do EUA e do Canadá tinham ela como faixa bônus desde 1980.

Lista de Singles :

Running Free

Running Free

8 de fevereiro de 1980

1.Running Free
2. Burning Ambition

Primeiro item oficial da banda após assinar contrato com a EMI.

 

 

 

 

 

Sanctuary

Sanctuary
23 de maio de 1980

1. Sanctuary
2. Drifter (live)
3. I`ve Got The Fire (live)
4. Prowler

 

 

 

 

 

Women In Uniform

Women In Uniform
17 ou 27 de outubro de 1980

1.Women In Uniform
2. Invasion
3. Phantom Of The Opera (live)

Depois desse single o guitarrista Dennis Stratton saiu da banda.

Esse single é gerado a partir de uma música cover, dos Skyhooks.

Deixando aqui a versão original da música.

, , , , , , , , ,

  1. #1 por lucas braga em 21/07/2011 - 18:18

    Falando e, Iron eu lembrei de uma coisa curiosa que tinha lido sobre o Bruce…antes do Iron, no samson(em 1980 se não me engano) eles tinham feito um pequeno “curta” de 12 minutos, parte desse curta foi usado no filme Incubus de 1981
    Vejam o curta do Samson e o trailer do filme
    http://video.google.com/videoplay?docid=7443742979335252713

    • #2 por darkmephisto em 22/07/2011 - 17:22

      no samson se não me engano eles tambem fizeram um cd que os clipes de vice versa e de uns outros la se juntam e contam a história do álbum que fala sobre Sansão(Samson) e Dalila versão metal

  2. #3 por Marcel em 10/08/2011 - 12:48

    Na minha opnião Strange World é a melhor música que o Iron Maiden já gravou na carreita. Uma verdadeira aula de como uma balada Heavy Metal deve soar.

  3. #4 por Gabriel em 13/06/2014 - 20:07

    Como assim Strange World é chata? Pra mim é a melhor musica do album, é muito linda essa música. É a minha opinião.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: