(2011) Whitesnake – Forevermore


Whitesnake - Forevermore

34 anos de carreira, 10 álbuns de estúdio consagrados, Umas 400 músicas com a palavra coração no meio, e o dobro disso com a palavra amor, Sim meus caros, estamos falando aqui da famosa banda do Senhor David, que faz cover dele mesmo (PIADA INFAME E VELHA!). E mesmo após tanto tempo assim, o Whitesnake vem pra mais um incrível álbum em 2011, o décimo primeiro de estúdio, entitulado de Forevermore e foi lançado em março desse ano, seguindo bem a linha do seu antecessor, o Good To Be Bad, e mesmo com a troca do baterista e do baixista, aliás a formação do whitesnake deve ser a que mais mudou no mundo do rock, a cada álbum ela fica diferente, o álbum soa pesado, tem as clássicas baladas, Coverdale está cantando impecávelmente e a dupla de guitarristas Doug Aldrich e Reb Beach dão um tempero a mais ao álbum, você sabe o que vai encontrar pela frente, sabe que vai ouvir “Love” e “Heart” algumas 500 vezes durante o álbum, mas vale a conferida, pois arrisco dizer que já é um dos melhores lançamentos de 2011, e ainda com a promessa da turnê do álbum passar por terras brasileiras junto com a despedida do Judas Priest no final do ano, é quase obrigatório a conferida do álbum, So..Enjoy ;)!

Destaques do álbum: Love Will Set You Free/ Easier Said Than Done/One Of These Days/Forevermore


Todas as músicas escritas por David Coverdale e Doug Aldrich

1.”Steal Your Heart Away” 5:18 5/5
Peso, essa é a palavra que define a abertura do álbum e com cara de primeira música até de shows, Coverdale e sua trupe vem com energia total aqui, com um refrão contagiante e um solo poderoso, que é uma das armas mais fortes no álbum todo, Steal Your Heart Away traz toda a energia de Good To Be Bad (álbum antecessor), porém com um quê a mais. E com certeza quando a música acabar, você estará Querendo Tudo e Querendo Agora na sua cabeça, seguindo com os trocadilhos…

2.”All Out of Luck” 5:28 5/5
Com o barulho do que parece ser uma moto acelerando, o álbum vem na mesma pegada, e até aqui você já ouviu as palavras “Love” e “Heart” algumas 180 vezes, e apesar de não aparecer nenhuma delas no nome, a segunda faixa não faz diferente. Mas, como nem tudo de mais do mesmo é ruim (vide AC/DC), a banda do senhor que é cover dele mesmo só eleva o nível a cada minuto, com Doug Aldrich trazendo um dos melhores solos do hard rock dos últimos tempos e os vocais de Coverdale cada vez mais eficazes, All out of Luck deixa o ouvinte ainda ansioso pelo que vai vir.

3.”Love Will Set You Free” 3:52 5/5
E o que veio foi de fato além do esperado, escolhida para primeiro “hit” do álbum e com até clipe já lançado, “Love Will Set You Free” tem uma cara já conhecida pelos fãs, contagiante e com refrão que gruda na cabeça, refrão esse que aliás tem um ótimo trabalho de Backing Vocals, e não tem como não se imaginar em uma casa de shows com o tradicional time de cantoras de Backing enquanto a banda arregaça, mas o ponto que merece maior destaque aqui fica por conta do solo, Reb (Sonf of) Beach e Doug Aldrich mostraram porque estão no Whitesnake e ainda não foram demitidos (apesar de nosso querido vocalista já ter posto pra fora nomes como Steve Vai), Love Will Set You Free com certeza ficará marcada como uma dos clássicos da nova geração do Hard Rock. Não deixe de conferir!

4.”Easier Said Than Done”  5:13 5/5
E o tão aguardado momento da primeira balada do álbum chega, mas com a presença ainda das guitarras, não deixando o ouvinte cair no sono, vem como um tiro certeiro, e o belo trabalho feito pela banda aqui nos traz uma das melhores melodias do hard rock! É uma faixa que estaria facilmente em qualquer clássico dos anos 80, é só dar play que você automaticamente entra em uma máquina do tempo, uma das melhores músicas do álbum, um dos melhores refrãos do Whitesnake e provavelmente uma das faixas que será aproveitadas até o lançamento do próximo álbum, se houver algum.

5.”Tell Me How”  4:41 5/5
O Peso volta com tudo na quinta faixa, em um riff explosivo e o já elogiado competente vocal de Coverdale fazem da faixa outro clássico moderno da banda, com grande destaque para o pré-refrão e o refrão, que literalmente grudam em sua cabeça e só vão sair após ouvir outra melodia chiclete. Assim como nas faixas anteriores o destaque principal fica por conta do trabalho nas guitarras, com um solo digno de ser destacado como melhor do álbum em uma aula de técnica e até virtuosismo, isso no Whitesnake! E sem perder as características principais da banda, após o solo podemos ouvir um “Baby,baaaby” de Coverdale que não tem como negar que foi inspirado por Robert Plant, deixando a influência de Led Zeppelin transparente para o ouvinte.

6.”I Need You (Shine a Light)” 3:49 5/5
5 Faixas se passaram e você ouviu a palavra “Love” em todas elas, I need you (Shine a Light) por incrível que pareça, não tem a tão citada e amada (pega o trocadilho) palavra por David Coverdale, quer dizer não diretamente, I Need you pode se “encaixar” no sentimento, se assim podemos dizer. A música vai seguindo a levada do álbum, porém um pouco mais cadenciada, numa pegada mais anos 80, algo que poderia entrar com certeza no “Slide It In”, clássico da banda, um ótimo refrão aqui também.

7.”One of These Days”  4:53 5/5

Aqui temos uma ótima balada, uma das melhores da banda de novo! Quase totalmente acústica, One Of These Days é uma música certeira pra se ouvir na estrada, com a guitarra executando um excelente trabalho, e é claro, a palavra “Love” está aí no meio da música, com certeza um dos melhores refrãos do álbum, pode ser comparado a uma das melhores baladas da banda desde a última década, apesar de ser considerada por alguns como um tanto “comum” demais…Mas com certeza vale o destaque e a conferida, músicão!
8.”Love and Treat Me Right” 4:14 5/5

Voltando ao peso das faixas anteriores, tem um refrão apelativo que gruda na cabeça e é bem repetido, pra você sair cantando mesmo. Love and Treat Me Right é uma ótima faixa, mas no meio de outras faixas tão boas acaba sendo ofuscada, como apenas uma outra faixa do álbum. Tem um solo de matar e é uma música até que “rápida”, os coros no refrão ajudam a empolgar, e na metade da música você já está pulando e cantando, “COME ON BABY TAKE ME HOME TONIGHT! COME ON BABY MAKE ME FEEL ALLRIGHT, COME ON BABY TAKE ME HOME WITH YOU TONIGHT!!!

LOVE AND TREAT ME RIGHT ;)”
9.”Dogs in the Street” 3:48 5/5

Música mais pesada do álbum, concorrendo apenas com My Evil Ways, tem um riff extremamente Heavy Metal e até o vocal de Coverdale parece ter tomado um outro rumo aqui, por essa faixa o Whitesnake poderia até ser considerado uma banda clássica de NWOBHM (Se fossem britânicos claro, não joguem pedras em mim!) , o refrão apesar de ter uma entonação como a do restante do álbum, não chega a empolgar , o que se torna um fato apagado perto do trabalho executado pela banda, principalmente nos solos de guitarra, Reb Beach e Doug Aldrich executam com perfeição cada segundo da faixa.
10.”Fare Thee Well” 5:18 5/5

Uma outra balada acústica para acalmar os nervos,  senhor Coverdale traz uma música bem triste na verdade, sobre mudanças após tantos anos, e apesar da difícil temática, o refrão é até que bem animado e não deixa a música ser um canto obscuro em um álbum tão agitado, é uma música que com certeza também se encaixa em qualquer outro trabalho do Whitesnake, a banda estava realmente inspirada para fazer o “Forevermore” que após algumas ouvidas, aqui e ali, se tornou o melhor álbum do whitesnake pra mim. Superando até mesmos os clássicos dos anos 80, e olha que é uma tarefa muito difícil hein…
11.”Whipping Boy Blues” 5:02 4/5

A introdução parece ter saído de uma brincadeira de estúdio onde foram adicionados os vocais com um efeito de “abafados” do Coverdale, até a música explodir, voltando a toda a energia do álbum. A música lembra muito Led Zeppelin, principalmente pelos gritos do Coverdale que as vezes soa identico ao mestre “Robert Plant”, e talvez pelo fato de não ter um refrão marcante, ou uma passagem que faz você saber exatamente o que está ouvindo Whitesnake, faz a faixa ser a menos lembrada do álbum…

12.”My Evil Ways” 4:33 5/5
Uma introdução violenta e rápida na bateria, querendo dar o ar de Painkiller da nova geração, e do hard rock, eleva o espírito aqui  e mostra a influência dos guitarristas dessa vez, muito bem trabalhada e com agudos de Coverdale novamente lembrando o Led Zeppelin, só que com um refrão marcante a até um pouco “feliz” apesar de dizer “I Can’t change my evil ways…” trazem a música um excelente clima, de pular, bangear e cantar junto…tudo pra se tornar hino e faixa obrigatória nos shows daqui pra frente. Vale destacar a banda inteira nessa música, tendo incríveis passagens desde a bateria, excelentes agudos, um dos melhores solos dos últimos tempos, talvez um dos melhores da banda, um ótimo trabalho de teclados ( que havia passado despercebido até aqui), e até mesmo o baixo tendo destaque positivo!

13.”Forevermore” 7:22 5/5
Épico, é o que podemos dizer da faixa que fecha o álbum e dá título ao álbum, com um início acústico a música começa com cara de balada e vai indo até que o refrão é cantado pela primeira vez, onde entra a banda inteira com uma pegada pseudo-progressiva, é uma faixa diferente de qualquer coisa que a banda já vez, e faz com perfeição, técnica, melodia, um bom refrão, fazendo com que uma música de 8 minutos, não seja longa o suficiente para os padrões do Hard Rock, fecha o trabalho com uma música extrema, fazendo passar por todos os momentos do álbum e destacando cada ponto positivo no álbum até aqui, em uma única faixa. Claro que apesar de diferente, a palavra “love” ainda aparece diversas vezes, o solo é muito bem composto e a cozinha não faz feio, Forevermore fecha o álbum da maneira que começou, com tudo e prova que os dinossauros do rock, foram e ainda são um dos melhores do gênero. Conclusão, esqueça qualquer tipo de rótulo que você já ouviu ou tem sobre o Whitesnake, “Forevermore” traz músicas de peso (ou com bolas, como diz nosso amigo Hellion), baladas, acústicas, pra pular, hard rock festeiro…tudo que tem de melhor reunidos em um único álbum, com certeza já está na lista dos melhores do ano, se não for o melhor, e apesar de ser o primeiro ano de uma nova década…tem tudo pra ser um dos melhores até 2020! Então pare de perder tempo e corre!!

Média do álbum: 10/10

Whitesnake - Datas confirmadas para setembro no Brasil, junto com o Judas Priest...em 10 de setembro show no estádio Canindé em São Paulo


, , , , , , , , , , , ,

  1. #1 por joaora em 26/05/2011 - 20:18

    Com certeza o Whitesnake surpreendeu muita gente com o ótimo Forevermore. Em certos momentos se esquece que é realmente o Whitesnake que está tocando, tamanho o peso abordado aqui. Ótimo, como o Guibby disse, tem tudo pra ser um dos melhores da década! E que ótima surpresa meu friend!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: