(2007) Nightwish – Dark Passion Play


Por DarkMephisto

 

Após a saída de Tarja Turunen em 2005, o Nightwish lança em 2007 um novo álbum que conta com uma nova integrante assumindo os vocais. Após mais de 2 mil fitas enviadas, a escolhida foi a sueca Anette Olzon que pertencia a banda Alyson Avenue.  Este álbum foi um recomeço para a banda, que inovou e convenceu o seu público, que adotou algumas músicas como hinos da banda e particularmente falando, já pode ser colocado com o um dos clássicos do Nightwish.

Melhor Música: Amaranth

Pior Música: Whoever Brings The Night

1 – “The Poet And The Pendulum” (Tuomas Holopainen) – (13:55) 4/5

Essa música é a maior do álbum e a mais longa da história do Nightwish. Começa com uma introdução bem interessante que lembra esses filmes de aventura. Um vocal em destaque com um coral e nada mais nada menos que a Orquestra Filarmônica de Londres ao fundo vai gradativamente chegando ao seu ápice até a distorção e a banda entrar junto. Anette mostra sua cara, ou melhor, sua voz com uma base bem tradicional do Nightwish. O refrão dessa música é bem interessante e carrega uma tendência nova para as músicas da banda desse “novo momento”. Depois de um primeiro momento mais rápido, a música vive um momento mais calmo com o vocal de Anette mesclado com um coral e uma orquestra ao fundo. Esse momento não dura muito tempo e pula pra uma breve passagem épica com alguns trechos do poema “The Pit and the Pendulum” de Edgar Allan Poe, que curiosamente, é o poema que inspirou a esta música. Entre trechos do poema e trechos cantados acompanhados por uma base bem tranquila, essa faixa chega no seu final. Um outro fato curioso dessa música, é que era pra ser o título do álbum, mas o próprio Tuomas achou melhor não então pegaram o nome ‘Dark Passion Play’ de um trecho de uma das letras do álbum que diz:

The morning dawned, upon his altar
Remains of the dark passion play
Performed by his friends without shame
Spitting on his grave as they came

2 – “Bye Bye Beautiful” (Tuomas Holopainen) – (4:15) 5/5

Música de grande importância e um dos clássicos desse álbum. É um dos singles que a banda lançou e ganhou um clipe. Introdução no teclado acrescido a distorção da banda que vem seguido do vocal de Anette que até o momento no álbum, prova porque foi a escolhida pra difícil missão de substituir Tarja. Como de costume, Marco Hietala também faz sua participação no vocal e também não faz feio. A música apresenta uma pegada como dito anteriormente, tendenciosa e ousada que agradou bastante os fãs da banda com essa pegada mais forte e não tão melódica como era na época da Tarja. Uma das melhores faixas do álbum

3 – “Amaranth” (Tuomas Holopainen) – (3:58) 5/5

Desde que saiu esse álbum, eu fico me perguntando como o Tuomas conseguiu compor músicas tão boas como essa que sim é o grande clássico desse álbum sem dúvidas. Assim como Bye Bye Beautiful, Amaranth ganhou um clipe e foi um dos singles desse álbum, atingindo o primeiro lugar nas paradas em vários países da Europa. A música se inicia no teclado e é seguido pela distorção e por arranjos com cordas e coral e segue pesada no melhor estilo Nightwish. Existem músicas muito boas e as muito boas com o algo mais especial e inesplicável. Não tem o que criticar essa música, apenas ouça e entenderá porque é tão especial assim. É uma das faixas dignas de se ouvir várias vezes sem cansar.

4 – “Candence of Her Last Breath” (Tuomas Holopainen) – (4:15) 4/5

Essa faixa tem uma pegada bem moderna e pesada, mas mantém os elementos sinfônicos com orquestra e coral ao fundo que por sinal estão muito bem arranjados ao longo de todo o álbum. Anette tem um timbre vocal diferente de Tarja, como é perceber desde a primeira faixa, contudo não faz feio e  mostra uma linha vocal invejável a qualquer outra vocalista. A mescla de elementos modernos e eletrônicos com a melodia sinfônica casou perfeitamente nessa faixa. Pena ser ofuscada por verdadeiros clássicos desse álbum.

5 – “Master Passion Greed” (Tuomas Holopainen) – (6:03) 3/5

Mantendo a pegada moderna e pesada durante a introdução oscilando com um riff rápido. Na entrada dos vocais, quando todos esperam ouvir a voz de Anette, acabam ouvindo a voz de Marco Hietala, que casou perfeitamente com a linha instrumental que é mais pesada e não tão lírica para ser cantado pela Anette. Essa faixa mantém um coral ao fundo dando apenas uma sobra para a harmonia e ao mesmo tempo para a melodia. Segundo Tuomas, assim como ‘Bye Bye Beautiful’, essa faixa fala sobre a relação da ex-vocalista Tarja Turunen e seu marido Marcelo Cabuli. Tuomas expressa toda a sua raiva e segundo o próprio, é a mais pesada do Nightwish. Como já dito acima, Marco é quem canta essa música, já que optaram em não envolver Anette com o ocorrido.

6 – “Eva” (Tuomas Holopainen) – (4:24) 5/5

Outro single do álbum, foi o primeiro single e primeiramente lançado pela Internet e pelo rádio. É uma balada bem interessante e destaca bem a voz de Anette. Outra canção escrita inteiramente por Tuomas e mostra sua versatilidade em escrever músicas pesadas e baladas tão facilmente e com perfeição. Essa música fala sobre uma menina (Eva) que é desprezada na escola. Uma letra forte e sensível, está entre as mais belas do álbum.

7 – “Sahara” (Tuomas Holopainen) – (5:47) 4/5

A música se inicia com uma breve introdução no teclado, seguido pela distorção que vem com um riff bem pesado até uma pausa. Num clima bem obscuro, a guitarra constrói um arranjo que é encerrado com uma base bem pesada até que o vocal de Anette entra com força total. É uma música de destaque no álbum, com elementos sinfônicos muito presentes, até o riff de teclado que ouvimos logo no começo da música, é em conjunto a orquestra de Londres que como já dito, toca no álbum inteiro. Apesar de uma pegada bem pesada, é interessante a construção dessa música que tem pontos que lembram a música árabe, principalmente a egípcia. Não sei onde Tuomas estava com a cabeça para escrever essa música, mas sinto em dizer que ele acertou novamente.

8 – “Whoever Brings The Night” (Tuomas Holpainen/Emppu Vuorinen) – (4:47) 3/5

Finalmente uma música que não é feita só pelo Tuomas, Emppu dá suas caras e apresenta sua única composição do álbum. É uma música pesada e destaca bem a guitarra junto com os arranjos de coral e orquestra. O vocal de Anette é um ponto negativo nessa faixa, não dizendo que ela está desafinada, mas o efeito que foi colocado no vocal, que ficou distorcido e “eletrônico”, não casou bem com a música e ficou estranho para quem está acostumado com vocais bem líricos e bem limpos como o da Tarja e até da própria Anette em outras faixas desse álbum.

9 – “For the Heart I Once Had” (Tuomas Holopainen) – (3:55) 4/5

Seguindo uma linha mais moderna, Anette novamente é o destaque, com grande parte da música, expressa um vocal mais suave que é automaticamente respondido pela dinâmica que a música trás em grande parte da sua duração, chegando no seu ápice durante o refrão, que dá pra sentir o Nightwish com uma pegada bem forte e com arranjos de teclado bem marcantes e precisos. Pra quem curte essa nova fase do Nightwish, essa está entre suas preferidas, de fato.

10 – “The Islander” (Tuomas Holopainen/Marco Hietala) – (5:05) 5/5

Outro single do álbum e uma das melhores faixas com certeza. Além de ser single, ganhou um clipe que foi gravado em Rovaniemi na Finlândia. Segundo Tuomas, não estava nos planos de fazer um clipe, mas o lugar que ofereceram era bonito demais e foi impossível recusar. Particularmente falando, o lugar contribuiu muito pra qualidade do clipe que está em meus preferidos do Nightwish. Outra curiosidade, é que essa música foi escrita para ser gravada pela outra banda do Marco, o Tarot, mas foi reaproveitada (e muito bem) pelo Nightwish. Não é uma música convencional aos moldes das canções da banda, é algo que trouxe uma atmosfera diferente ao Nightwish (principalmente aos shows), até por usar instrumentos folclóricos e se isentar dos instrumentos convencionais, como bateria, baixo e guitarra. Só tenho a dizer que essa música é fantástica, ouça e entenderá porque.

11 – “Last of the Wilds” (Tuomas Holopainen) – (5:51)

Instrumental

12 – “7 Days to the Wolves” (Tuomas Holopainen/Marco Hietala) – (7:04) 3/5

Novamente com uma pesada e moderna e mais uma música de renome nesse álbum. A pegada moderna foge bastante da vertente “tradicional” do Nightwish, mesmo utilizando um dos melhores arranjos orquestrados do álbum. É uma faixa que é bem aceita entre os fãs durante essa nova fase, mas particularmente falando, mesmo sendo uma ótima faixa, as quebras de tempo e o fato de ser uma faixa mais longa, se torna cansativa de ouvir, algo repetitivo.

13 – “Meadows of Heaven” (Tuomas Holopainen) – (7:10) 4/5

Um dos álbuns mais marcantes do Nightwish vai chegando ao fim com balada. Mesmo tendo praticamente o mesmo tempo de duração da faixa anterior, não se torna cansativa e pesada, muito pelo contrário, é uma faixa ofuscada por grandes clássicos e deveria ter destaque nesse álbum. O grande destaque nessa faixa, é a vocalista Anette Olzon, que foi muito bem explorada e fez um trabalho impecável em todo o álbum. Além da grande atuação da Anette, devemos dar créditos ao arranjo tanto de coral, quanto ao orquestrado, que sela esse álbum de uma forma digna de se aplaudir em pé, como se fosse num concerto clássico. Dark Passion Play encerra como um dos mais inovadores e como um futuro clássico do Nightwish e não me arrisco em dizer que é do Metal Melódico/Sinfônico.

Média do Álbum: 8/10


, , , , , , , , , , , ,

  1. #1 por Brunou em 11/02/2011 - 9:56

    Na moral, Me falar que Cadence of Her Last Breath é mediano e Dark Passion Play, uma das poucas músicas d tanta duração que seguem uma sequência muito bem elaborada, que com certeza, umas das melhores do Nightwish.

    Enfim, Amaranth que é apenas uma música mais pegajosa e sombra da demo “Reach”.

    Sinceramente, achei este review fraco e com visão mais voltada ao Pop e não à qualidade da letra e da música.

    Afinal, quem realmente curte este estilo e/ou gosta de música com qualidade já pararia de ler ao momento que Amaranth e Bye Bye Beautiful tiveram uma nota maior que Dark Passion Play.

    Sem comentar sobre pouco apreço sobre a Simfônica de Londres como apoio musical e ao Coral Gospel que também contribui em pontos específicos do CD

  2. #2 por darkmephisto em 11/02/2011 - 10:33

    Brunou, como está na resenha, se é que leu com atenção, Cadence of Her Last Breath tem a nota 4/5 e não é uma música mediana.

    Quanto a relação da duração da faixa “The Poet And The Pendulum” (que se eu entendi, é a que você está chamando de Dark Passion Play), eu acho essa música fantástica e se ouvir com atenção essa faixa, musicalmente falando, vai ver que realmente é uma das melhores faixas do álbum; não vi necessidade de criticar sobre ela, é só ler outra vez.

    Amaranth é uma música pegajosa? Em termos sim, mas é uma das faixas que marcam essa “nova tendência” que o Nightwish fez e deixou meio “Pop” (como você citou), fugindo um pouco o tradicional “siNfônico” que a banda vinha fazendo quando estava com Tarja no vocal. Falar que Bye Bye Beautiful e Amaranth não merece as melhores notas soa como não admitir que a Anette não é boa para substituir a Tarja, usando um termo pejorativo, “viúvas da Tarja”.

    O estilo naturalmente mudou, se quiser referências, ouve o Angra na fase André e depois na fase Edu e também ouve a fase Tolkki no Stratovarius e a fase sem o Tolkki, então em relação a nova tendência e o novo estilo, não comparei Amaranth ou Bye Bye Beautiful ou qualquer uma, com as músicas da fase Tarja, até porque as vocalistas tem tessitura vocal diferente uma da outra.

    Quanto falar com pouco apreço da Orquestra SiNfônica de Londres e ao Coral, discordo com você porque eu dou grande ênfase nos arranjos orquestrados em muitas faixas desse álbum, se não foi em todas.

    Deveria ler novamente a resenha prestando uma atenção maior e ouvir o álbum, musicalmente falando, também com mais atenção.

    Obrigado pelo comentário!
    Continue acessando o blog!

  3. #3 por Bruno em 11/02/2011 - 11:33

    Mania d escrever ingles ta fudendo meu portugues

  1. Tweets that mention (2007) Nightwish – Dark Passion Play « Roque Veloz /,,/ -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: