Entrevista Exclusiva – Hibria


Por DarkMephisto

Fundado no Rio Grande do Sul, o Hibria é hoje uma das bandas mais importantes no cenário metálico do Brasil. Nos últimos anos, vem ganhando espaço não só no Brasil, mas no exterior também. Após o sucesso na sua turnê mundial em 2009, o Hibria foi convidado para tocar no festival japonês Loud Park, ao lado de gigantes como Judas Priest, Megadeth, Arch Enemy, entre outros. A banda acaba de lançar no Japão seu novo álbum intitulado “Blind Ride”, que será lançado no Brasil em breve. A entrevista foi concedida por Iuri Sanson, vocalista da banda.

LINE UP:

Iuri Sanson (vocal), Abel Camargo (guitarra), Diogo Kasper (guitarra), Benhur Lima (baixo) e Eduardo Baldo (bateria)

CONTATO:

www.hibria.comSite oficial
myspace.com/hibria – MySpace
http://twitter.com/hibria – Twitter

Roque Veloz: Sobre o “Defying the Rules”, quem deu a idéia de fazer daquele jeito bem ‘história em quadrinho’?
Iuri Sanson: O DTR tem uma temática que aborda dois personagens que criamos, Steel Lord e The Faceless. Quando passamos a idéia da arte para o Daniel HDR ele mostrou alguns rascunhos com os personagens em destaque. A característica do trabalho dele é no formato cartoon e achamos interessante para mostrar ao público essa batalha entre os personagens, cada um representando um lado da história do DTR.

Roque Veloz: Vamos falar do novo álbum. Como estão as expectativas para o lançamento?
Iuri Sanson: As melhores possíveis. O Blind Ride foi lançado no próximo dia 26 de Janeiro no Japão e já estamos com uma repercussão irada por lá. Na última edição da revista Burnn!, tivemos um destaque grande para o “Blind Ride” e foi o único CD, entre os mais de 30 lançamentos, que recebeu nota 90 no review. Estamos com uma nova gravadora no Japão, a King Records, e eles estão apostando muito no potencial do Hibria. Já disponibilizamos em nosso myspace uma música desse novo trabalho. Queremos que os fãs ouçam e nos dêem sua opinião em nosso guestbook no hibria.com

Roque Veloz: O “Defying the Rules” tem uma pegada rápida e bem “melódica”, já “The Skull Collectors”, mantém essas mesmas características só que ligeiramente mais pesado. Como virá o “Blind Ride”? Será um álbum conceitual? O que podem nos adiantar?
Iuri Sanson: O “Blind Ride” com certeza é o melhor álbum já composto pelo Hibria. Está bem mais diversificado e com mais “dinâmica” que os anteriores. Além disso, nós pesamos ainda mais o “Blind Ride”, o que já era um caminho natural pra gente desde o “The Skull Collectors”. Novos elementos e sonoridades foram adicionadas a nossa música. Influências que vão do Hard Rock, passando pelo Progressivo, e incluindo o Thrash também. A galera vai sentir que toda essa mistura no final das contas irá soar Heavy Metal. Não será um álbum conceitual, mas as letras foram baseadas no livro O Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago, que tem uma atmosfera muito pesada e achamos que este clima se encaixaria muito bem nas letras.

Roque Veloz: O novo álbum foi lançado agora em Janeiro. Vocês pretendem lançar algum single ou liberar alguma música online? Como se posicionam em relação a liberação de músicas online?
Iuri Sanson: Já liberamos em nosso myspace a música Nonconforming Minds. Também fizemos uma promoção através do Twitter do Hibria (@Hibria). Aqueles que seguirem a banda e retwittar a promoção, terão acesso exclusivo a mais uma inédita. Não vemos problema com relação aos sons liberados na internet, inclusive, é uma ótima maneira do cara ouvir, gostar e mostrar para os amigos. O Hibria sempre cresceu pelo “boca-a-boca” de seus fãs e somos muito gratos por isso. Portanto, se você tem um CD do Hibria e gostou, mostre para os seus amigos. Esta é a melhor maneira de mostrarmos para a nossa gravadora que podemos tocar na sua cidade.

Roque Veloz: Vocês vão lançar o Blind Ride primeiro no exterior? Por que optaram em lançar os álbuns mais antigos primeiro no exterior ao invés do Brasil?
Iuri Sanson: Na verdade isto é uma exigência da gravadora. Ela pede prioridade de lançamento e faixa(s) bônus. Desta vez será um pouco diferente com relação a questão da faixa bônus. O Japão terá uma versão da música I’m Gonna Live Until I Die, que foi gravada pelo Frank Sinatra e desta vez o Brasil também terá uma faixa bônus. Uma versão acústica da faixa I Feel no Bliss. Também tem o fato de que as gravadoras de lá apostam mais nas vendas e no retorno do valor que elas investiram na promoção dos lançamentos. Então temos que respeitar estas questões.

Roque Veloz: O Hibria faz parte dessa “nova leva” do Heavy Metal nacional, como MindFlow, Torture Squad, entre outros. Vocês mantêm contato com alguma dessas “bandas novas”? Como é o relacionamento entre vocês?
Iuri Sanson: Tivemos a oportunidade de tocar no ano passado com o Torture Squad pela 2ª vez. Uma em Porto Alegre e também no HMF em Belo Horizonte. Já o pessoal do Mind Flow ainda não tivemos a oportunidade de tocar em um mesmo evento.

Roque Veloz: Aproveitando a deixa, como que é a visão do Hibria em relação ao cenário do Metal hoje aqui no Brasil?
Iuri Sanson: O Brasil é um celeiro de ótimas bandas e os músicos brasileiros são vistos com grande respeito no exterior! Ou seja, existe um mercado muito forte a ser alcançado no exterior, assim como no Brasil. Nós do Hibria queremos muito tocar em todo o Brasil, mas também sabemos que é um país de dimensões continentais, o que muitas vezes dificulta a questão de deslocamento interno. Só conseguiremos isso se os fãs mostrarem cada vez mais o interesse de querer ver a banda ao vivo, se manifestando pelos canais sociais que estão à disposição hoje, mostrando os nossos CDs para os amigos e deixando mensagens em nosso guestbook no hibria.com

Roque Veloz: Na última passagem do Metallica em POA, vocês foram escolhidos para ser a banda de abertura. Como foi abrir pra um gigante do Heavy Metal como o Metallica?
Iuri Sanson: Foi um sonho que se tornou realidade! Fora o fato de termos tocado em nossa cidade natal e conhecer os caras, poder dizer pessoalmente o quão importante eles são pra trajetória do Hibria foi um privilégio impagável. Ainda entregamos em mãos nosso 2º CD, TSC, e conversamos um pouco com eles e o pessoal da equipe.

Roque Veloz: Em 2009, vocês tocaram no Japão, no Loud Park, no mesmo festival que Slayer, Judas Priest, Megadeth e outras bandas de renome. Como foi tocar nesse festival?
Iuri Sanson: Foi muito irado também. Tínhamos voltado da nossa primeira tour Asiática onde tocamos no Japão (Osaka e Tóquio), Hong Kong, Coréia do Norte, Taiwan e ainda o Canadá de costa a costa, quando recebemos o convite da nossa antiga gravadora falando sobre o Loud Park. Ficamos super empolgados, pois no mesmo ano retornaríamos ao Japão para tocar no maior evento de Heavy Metal daquele País e depois faríamos a abertura para o Megadeth em Nagoya.

Roque Veloz: Muito obrigado pela entrevista! Espero vê-los em breve de volta aqui no Roque Veloz! Uma última mensagem aos fãs?
Iuri Sanson: Eu que agradeço pelo espaço e oportunidade de pela primeira vez entrar em contato com os leitores do Rock Veloz. “Blind Ride” tem a previsão de lançamento para março aqui no Brasil. Trabalhamos duro para fazer deste CD, o melhor material que já gravamos e esperamos que todos gostem e batam muita cabeça ao escutar este novo álbum. Ele foi feito especialmente para os nossos fãs. Então se você escutar e curtir, entre em contato com a gente pelo nosso guestbook no hibria.com, myspace.com/hibria, twitter.com/hibria, facebook e os outros canais que participamos. Forte abraço.

, , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: