Entrevista Exclusiva – MindFlow


Por Isabella Brendler

Durante os últimos 6 anos, o MindFlow vem vivendo uma carreira nas intermináveis estradas no Brasil e no exterior. Depois de produzirem e promoverem sozinhos os dois primeiros discos, “Just the two of us…Me and Them” (2004) e “Mind Over Body” (2006),  desenvolveram uma base fiel de fãs ao redor do mundo. O terceiro disco, “Destructive Device“, produzido por Ben Grosse (Megadeth, Slipknot, Disturbed etc.), alcançou um sucesso admirável, levando a banda à apresentações em festivais nos Estados Unidos, Europa e Sudeste Asiático. Através do “Street Team”, que possibilita contato direto com os fãs, de disponibilizações gratuitas de suas músicas e da forte participação nas redes sociais, o MindFlow pode ser chamado de uma banda mais do que moderna. Nesta entrevista exclusiva para o Roque Veloz, os caras contam o que esperar daqui pra frente.

LINE-UP:
Danilo Herbert (vocais), Rafael Pensado (bateria), Ricardo Winandy (baixo) e Rodrigo Hidalgo (guitarra).

CONTATO:
http://www.mindflow.com.br/
http://www.myspace.com/letyourmindflow

Roque Veloz: Ao criar o MindFlow, qual era a ideia principal? Essa ideia mudou muito conforme o tempo foi passando?
Rafael Pensado: A idéia inicial do MindFlow era de criar músicas próprias baseadas nas influências individuais e mesclando tudo o que gostamos de ouvir. Essa idéia não mudou, mas evoluiu.

Roque Veloz: Que bandas brasileiras atuais vocês admiram? O que vocês tem a dizer sobre o atual cenário musical do país?
Rafael Pensado: Existem algumas bandas de diferentes estilos que eu particularmente respeito muito, no cenário metal, gosto muito do Torture Squad, Threat, Korzus,Hangar assim como o MindFlow, são  ou foram por muito tempo bandas independentes e sempre levaram a sério seus trabalhos, de fora da cena metal, Paralamas do Sucesso, Skank são bandas que estão juntas há muitos anos e sempre foram extremamente profissionais e dedicados aos fãs.

Roque Veloz: O que vocês ouviam quando adolescentes? E o que mais ouvem agora? Quais são as bandas que mais curtem?
Rafael Pensado: Eu sempre escutei muito rock, Kiss, Judas Priest, Iron Maiden, Megadeth, Metallica sempre estiveram presentes no meu “Walk-Man”, após alguns anos fui introduzido ao mundo mais progressivo pelo Rush, Dream Theater e ai meu mundo mudou, conheci músicas que nunca imaginei que poderiam ser feitas daquela maneira, essas são as bandas que mais me agradam.

Roque Veloz: Os álbuns mais fodas que vcs já ouviram são…
Rafael Pensado: Acho que o disco que teve maior impacto pra mim foi o Metropolis 2- Scenes from a dream / Dream Theater.
Danilo Herbert: Caramba… essa com certeza é uma pergunta bem difícil de ser respondida… é como eleger um filme, ou um livro preferido… é muito difícil… Eu, particularmente tenho vários álbuns preferidos. Acho que em cada fase de nossa vida elegemos o nosso programa favorito, livro favorito, hobby favorito e também, é claro, o nosso disco favorito… há muitos deles. Talvez fique mais fácil se adicionarmos um parâmetro: dessa forma, pra mim, um disco preferido seria o mais importante por sua relevância na minha história, seria o disco que mudou a trajetória do meu caminho e me fez ver a música como uma escolha de vida, uma profissão, uma religião. E mesmo olhando por esse ângulo, ainda existem vários! (risos) Mas com certeza dentre estes eu destacaria o “The Real Thing” do Faith No More.

Roque Veloz: Quais são os projetos para o MindFlow daqui pra frente? Existe algum objetivo que vocês ainda sonham em alcançar como banda?
Danilo Herbert: Objetivo? Existem vários… Todos, eu diria! (Risos) Dizem que não se pode seguir em frente com nada na vida sem definir metas, então temos esse costume de nos impor novas metas a todo instante, isso é muito positivo, pois, nos mantém sempre em movimento e sempre buscando o próximo passo. Por enquanto, a curto prazo, podemos dizer que agora que o projeto 365 está concluído e a versão física do disco contendo as 12 faixas está praticamente em mãos, vamos começar a nos concentrar na turnê de promoção do álbum com várias datas para este fim de ano, que passarão pelas principais capitais do Brasil e seus arredores, e enquanto elas acontecem, o terreno é preparado para as primeiras datas internacionais, que ocorrerão no começo do ano que vem. Com certeza será uma virada de ano bem agitada para o MindFlow. E após isso já temos metas para trabalhar nas composições de um novo álbum que é previsto para o fim do ano que vêm.

Roque Veloz: A ideia de lançar uma música por mês foi ótima, além de aproximar ainda mais a banda do ambiente da internet. Como surgiu a ideia do 365?
Danilo Herbert: Muito obrigado! O 365 foi uma ideia muito ousada que tivemos com a intenção de aumentar a interatividade entre nós e os fãs, aproximando-os mais para dentro do universo da banda e alimentando-os sempre com as nossas ideias mais recentes. Funcionou como um diário do MindFlow. Todo mês, durante um ano, disponibilizamos uma reflexão da banda sobre um determinado assunto em forma de música. Os fãs puderam acompanhar o processo de composição das músicas em todas as suas fases, desde a concepção (pois cada música surgiu do zero em cada mês, não havia nenhum material previamente composto), desenvolvimento, gravação, mixagem, masterização até o resultado final, e sempre convidando-os a opinar e participar de toda essa corrida, e isso foi muito legal. O desafio maior ficou por conta de que todas as datas de entrega já estavam pré-definidas, então tínhamos que correr contra o tempo para que tudo fosse apresentado sem atrasos. Nos desdobramos para conciliar as sessões de gravação com a agenda normal da banda, isso exigiu uma grande flexibilidade dos músicos e da equipe, passamos por situações apertadíssimas para não perder os prazos já determinados. Felizmente tudo deu certo. Foi uma experiência muito positiva para nós.

Roque Veloz: Enquanto a maioria dos artistas condena a distribuição de suas músicas pela internet, vocês as disponibilizam livremente. Como surgiu essa ideia? Como vocês interpretam o resultado dessa ação? Influencia muito nas vendas de CDs ou quem é fã vai comprar de qualquer jeito?
Danilo Herbert: Acho que a indústria da música passa por um período de transição. O poder não está mais e somente nas mãos das grandes gravadoras. A tecnologia e a qualidade estão ao alcance de todos, a internet e o mp3 vieram para democratizar o som e fazê-lo cruzar as fronteiras mais distantes. Não acho que tudo isso seja uma desvantagem, eu apenas encaro como uma mudança nos padrões. Os artistas independentes agora devem assumir também o papel de seus administradores, e acho que muitos deles ainda não caíram nessa realidade, o que tem causado uma certa insegurança e estagnação no meio. Você tem que dançar conforme a música. Tudo mudou, a maneira como as pessoas consomem música e a maneira com a qual ela é comercializada, temos que acompanhar essa mudança, criando sempre novas ideias e novos caminhos para que nossa música alcance o maior público possível. Porque apesar de tantas mudanças, certos fundamentos continuam os mesmos: A relação Artista/Fã nunca esteve tão forte, e agora, cada vez mais sem intermediários (sem Artista/Indústria/Fã)… é nisso que acreditamos, e no fim das contas é isso que sempre fez toda a diferença, essa sempre foi e sempre será a base do negócio da música.

Roque Veloz: O MindFlow é um grande responsável pelo metal progressivo no Brasil. Muitas pessoas só conheceram essa vertente através de suas músicas. Como vocês encaram esse fato?
Rodrigo Hidalgo: Ficamos muito felizes em fazer parte da cena do rock brasileiro. Acho que temos os fãs mais dedicados e agradecemos muito por isso. Todo esse apoio nos faz sempre tentar melhorar e oferecer o nosso melhor para eles.

Roque Veloz: Pensando de um modo geral, quais são as principais diferenças entre os álbuns de vocês até agora? Já tem alguma ideia para um próximo trabalho?
Rodrigo Hidalgo: Sempre fazemos o que parece certo no momento. Nosso primeiro disco era mais progressivo. No Mind over Body fizemos muitas experiências que gerou um disco muito interessante e com bastante personalidade. No Destructive Device, quisemos fazer algo que fosse divertido de tocar ao vivo, algo que pudéssemos liberar toda a energia do MindFlow no palco. Agora no 365, levamos isso mais além, com musicas mais pesadas. Está sendo muito bom tocar tudo isso nos shows.

Roque Veloz: Cada um tem uma música preferida da banda, que goste mais de tocar ou ouvir?
Rodrigo Hidalgo: Ultimamente tenho gostado muito de tocar “Reset the future” e “Break me out” do 365.

Roque Veloz: Vocês já se apresentaram nos mais diversos lugares do mundo. Que país mais gostaram de visitar? Onde sentiram maior simpatia pelo público?
Rodrigo Hidalgo: Tocar no Brasil sempre é mais quente. O público é mais agitado. Particularmente gosto muito de tocar nos EUA. Todos os show que fizemos por lá foram excelentes!

Roque Veloz: O Street Team mostra que vocês tem fãs muito dedicados, a impressão que temos é de que o MindFlow tem uma família virtual. Como acontece essa relação com eles?
Rodrigo Hidalgo: Temos muita sorte de termos os fãs mais dedicados do Brasil! O MindFlow Street Team é uma grande família e fazemos questão de estarmos o mais próximos possível de todos. Sem os nossos fãs o MindFlow não existiria. Toda quarta fazemos um chat para conversarmos com todos, nos shows eles tem prioridade, inclusive sempre fazemos um almoço ou encontro no dia.

Roque Veloz: O Bruno (@bcolisse), que também é um dos autores do Roque Veloz, pediu que vocês comentem sobre o novo DVD que será lançado. Vocês podem dizer algo sobre isso…?
Danilo Herbert: Claro! Estamos produzindo nesse exato momento o nosso primeiro DVD, com as imagens do show que fizemos em Atlanta-EUA, no renomado festival de música progressiva Prog-Power USA. O DVD vai contar também com um documentário sobre a banda e algumas outras surpresas que estão sendo preparadas. Estamos muito ansiosos com esse projeto e não vemos a hora de vê-lo concretizado! Tenho certeza de que os fãs vão adorar!
Rafael Pensado: Já é possível ter uma idéia assistindo ao video de Breakthrough live in Atlanta no Youtube!

Roque Veloz: Obrigada pela entrevista! =)
Danilo Herbert: Gostaria muito de agradecer a todos os leitores e a Equipe pelo espaço e oportunidade. Muito sucesso e que o ROQUE fique cada vez mais VELOZ!

, , , ,

  1. #1 por darkmephisto em 18/11/2010 - 23:26

    If (Entrevista = true)
    Display “Bella is a genious!”
    End_If

  1. Tweets that mention Entrevista Exclusiva – MindFlow « Roque Veloz /,,/ -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: