(1987) Guns N’ Roses – Appetite For Destruction


Por Joaora

Capa Censurada em alguns países


O primeiro estoque do álbum saiu nessa capa um quanto “parecida” com Iron Maiden, devido ao robozinho estrupador que se pode ser visto molestando a mulherzinha esparramada no muro…xxDToda via a capa foi censurada em alguns países, sendo o carro chefe os EUA, pois críticos e alguns fanáticos declaravam que a capa era obscena e depreciativa para a imagem das  mulheres.

Capa do Álbum que substituiu o censurado.

A capa que substituiu a original é na realidade uma tatuagem que Axl Rose tem em seu braço. Os cinco membros da banda desenhados como caveiras nas extremidades de um crucifixo…Algo criativo!…Foi essa capa que passou a ser veinculada junto ao CD e é a mais comum, diferente da outra que é rara de ser encontrada!

Números

Primeiramente vamos falar dos números deste que foi um dos álbuns de estréia mais vendidos e aclamados do mundo:

* Considerado por alguns sites e mídias especializadas o álbum de estréia que mais vendeu, foram simplesmente 40 milhões de cópias.

*Os 4 singles entraram para o Top 100 da Billboard

* Welcome to the Jungle foi um dos vídeos mais pedidos para a MTV na década de 80

* Sweet Child O’ Mine ficou pronta no primeiro take de gravação

* O álbum demorou 5 meses para ficar pronto e teve um custo de 370 mil doláres.

Descrição

É difícil fazer essa parte da resenha, quando os números já dizem por si só. Um álbum que vendeu mais de 40 milhões de cópias tem que ter algo de especial para obter tal feito. Não sou nenhum Gunner revoltado para dizer que esse é o melhor álbum da história, toda via, se tornou um clássico e certamente figura na lista dos melhores de muita gente. Appetite For Destruction é um “Alô ao mundo” de uma das bandas mais “midializadas” e aclamadas do mundo. Sem mais enchimento de saco, pegue seus fones, coloque Appetite For Destruction no toca CDs, aumente o som e Desfrute seu Gunner Revoltado ( Ou não) de uma das resenhas mais esperada do @Roque Veloz!

“Quando era moleque, existiam aqueles álbuns que ficavam com a gente para sempre, que representavam alguma coisa na nossa vida. Podia ser a música de fundo da sua infância ou da sua puberdade ou de sei lá o quê – Dark Side of the Moon [1973], ou Sticky Fingers [1971], ou Rocks [1976], do Aerosmith, ou Led Zeppelin IV [1971]. E nós fizemos um desses discos. Não posso desejar mais nada do que isso. Fico todo arrepiado. Isso é uma coisa que ninguém nunca vai tirar de mim.”

Slash

Melhor Música: Sweet Child’o Mine


Para todos que acham que o Axl Rose é uma grande merda vejam esse vídeo!…Eu por horas também acho isso, mas tenho que reconhecer que aqui seu timbre demonstra uma qualidade presente em poucos vocalistas!

Pior Música : Anything Goes

1 – Welcome to the Jungle ( Slash, Rose) 4:32 5/5

O Guns’n Roses da “alô”  ao mundo com um de seus clássicos, uma das músicas mais aclamadas da banda. Welcome to the Jungle, teve inúmeras gravações e aparições em filmes e games. É o segundo single do álbum e atingiu a 7ª posição no TOP 100  da Billboard. Conta Axl que a letra da canção surgiu durante uma viagem a uma região isolada do Queens quando um nego lhe disse: “Você está na selva brancão, você vai morrer!” …Os números são exorbitantes para descrever essa canção, tem um dos vídeos mais pedidos da história da MTV e é  também a canção que quase sempre abre os shows da banda! O estardalhaço desta talvez se deva à uma voz rasgada que era ouvida pela primeira vez por fãs de Rock’n Roll: a tão subestimada voz de Axl. O refrão da canção mostra uma banda com influências claras de bandas como Hanoi Rocks e Aerosmith, talvez seja o ápice da canção, que conta com um riff de baixo que se deve prestar atenção, Duff mostra logo na faixa inicial o quanto é bom músico. Axl se destaca aqui também, cantando em certo momento um verso de travar a língua de qualquer um! Uma das parcerias mais bem sucedidas da história do Rock’n Roll entre Axl e Slash (uma relação de amor e  ódio) estava começando, para a felicidade e desgosto de muitas pessoas! Animada e Energética Welcome to the Jungle se torna uma das melhores aberturas de todos os tempos!

2 – It’s So Easy (McKagan, Arkeen) 3:21 5/5

A peteca não cai na segunda faixa. Marca registrada do álbum de estréia da banda, aqui se ouve clássico atrás de clássico. It’s So Easy é a única composição solo de Duff para o álbum. Em termos de midia e números não chegou nem aos pés da primeira, entretanto sua qualidade não pode ser subestimada por isso! Criticos e fãs dizem que o ínicio desta faixa é uma homenagem à banda britânica de punk rock, Sex Pistols, pois sua introdução é categoricamente falando muito parecida com uma música da banda Punk, veja o vídeo e tire suas conclusões:

Nenhum integrante da banda até hoje se declarou sobre ser ou não uma homenagem…mas voltamos a falar da música… Talvez por ter sido escrita por ele, Duff elabora um riff muito audível de seu baixo, técnicamente falando um dos mais sofisticados do álbum. As influências Punks estão mais evidentes aqui, marca da escrita de Duff. A voz de Axl está absurdamente diferente da canção anterior, sua voz rasgada da lugar a uma voz mais grave e direta, não estragou a música por ao contrário, a voz direta e ” suja” do vocalista se adapta bem à letra!

3 – Nightrain (Stradlin, McKagan, Rose, Slash, Adler) 4:26 5/5

Saímos de algo foda e entramos em algo mais foda ainda!…Desculpa pelos palavrões, mas é a pura verdade!…Vale dizer novamente que não sou um Gunner doido, apenas gosto de música boa, e para todas as pessoas que como eu gostam de música boa,  as 3 primeiras músicas de Appetitte for Destruction são definitivamente um clássico! Uma letra que fala sobre a marca de um vinho, o Night Train Express levou a música à 97ª posição na parada da Billboard, entre os 4 singles, esta foi a que menos se destacou nas paradas! A introdução desta faixa é sem dúvida uma das melhores do álbum, Adler toca uma batida que junto com o baixo de Duff e o mini solo simples de Slash e Stradlin dão um ótimo momento ao álbum! Nightrain é ao meu ver a música mais contagiante do álbum, anima qualquer pessoa, fato esse que se deve ser meritado à voz de Axl no refrão, bastante potente e energética. Slash começa seu espetáculo aqui, não desprezando os solos do guitarrista nas canções anteriores, toda via aqui ele realmente mostra quem é, seu solo maravilhoso e sua guitarra, junto com a de Stradlin se sobressanindo junto com a voz de Axl durante toda a música. Empolgante, energética sem sombra de dúvida uma das melhores do álbum!

Vinho responsável pela inspiração da letra da música!

4 – Out Ta Get Me (Slash, Rose, Stradlin) 4:20 4/5

A banda respira um pouco nessa faixa! Após 3 musicassas a qualidade cai um pouco no 4ª tape! Com uma letra delirante, digna de um maconheiro amedrontado Out Ta Get Me é uma daquelas músicas que fica em segundo plano, devido aos grandes clássicos presentes no álbum! Sua qualidade não é de toda péssima, aliás é uma boa música! As guitarras novamente ficam sendo a grande inspiração da canção, altas e sempre em primeiro plano!…Certamente você não se lembrará desta canção quando o álbum acabar!…Mas eu volto a dizer, é uma música boa, a qualidade dos músicos novamente pode ser notada!

5 – Mr. Brownstone (Stradlin, Slash, Adler) 3:46 5/5

Me atrevo a dizer que Duff é um dos maiores baixistas da história! Se você discorda de mim, escute o riff totalmente simples, mas muito bem elaborado desta faixa. Mesmo sendo codjuvante em grande parte das músicas o baixista mostra seu talento com seus riffs sempre audíveis e simples. Novamente as drogas tomam conta da letra de outra música, grande parte escrita por Stradlin.  Alguns versos da canção nem chegam a ser literalmente cantados por Axl e sim falados, não exigindo muito da voz do cantor, o solo do grande Slash não é muito memorável e também é curto, em seu solo eu reparava mais no riff do baixo de Duff do que no solo em si, a harmonia entre o baixista e o baterista Adler, ambos detonando em seus instrumentos! Uma boa música que aumenta a qualidade que faltou na anterior!

6 – Paradise City (McKagan, Slash, Rose, Stradlin) 6:45 5/5

Um dos momentos mais lindos do álbum é ouvido quando o 6ª tape chega! Ultimo single do álbum, atingiu facilmente as paradas americanas, chegando a ficar em 7ª lugar. Segundo Slash esta é a sua canção favorita, e não é pra menos, o solo que o guitarrista faz aqui é de animar qualquer um, Izzy segurando muito bem a base, a dupla realmente se dava muito bem, isso pode ser notado aqui! Seu começo se da logo com o refrão, mas não sendo cantado como realmente é cantado no decorrer da música, mas sim com um dueto incluindo violão, batidas suaves de bateria e Axl com uma voz poderosa soltando os versos, muito bem ajudado pelos backvocals compostos por Adler e Duff. A alternância de tempos na canção é o grande destaque dela, por oras lenta com o violão presente, depois mais acelerada e por fim uma velocidade que não tinha sido visto ainda no álbum! O refrão é um grude doido, que adentra seu cérebro e é dificil de sair. Vale dizer que a bateria espancada por Steven Adler aqui é outro grande destaque da canção, que não pode passar desapercebida! Duff se torna Deus aqui, todo mundo fica prestando atenção no “grande” Slash e deixa de maneira meio que inconsciente o baixista em segundo plano, eu novamente peço para que você preste atenção na linha de baixo do músico aqui e ajoelhe quando você estiver ouvindo essa música!

7 – My Michelle (Stradlin, Rose, Slash) 3:38 5/5

O começo dessa canção talvez esconda o que realmente ela é. Com ares ( começo) de balada My Michelle deixa claro para todo mundo o quanto Izzy Stradlin era importante para as composições da banda, de todas as 7 músicas iniciais o guitarrista não estava presente apenas em 1, e assim seria com todo o álbum, ele estaria presente em todas as composições, menos em It’s So Easy, grande Izzy, ótimo guitarrista e compositor também. Boatos surgiram que My Michelle era para ser uma canção acústica, toda via o guitarrista Slash vira uma canção mais acelerada, e bolou o riff mais pesado para a canção. O refrão como o da anterior é muitas vezes repetido pela banda, e talvez por isso seja bastante memorável. Há um video na internet dela  sendo cantada junto com Sebastian Bach, algo totalmente ruim, não me agradou! A formação do Guns não era mais a original, talvez isso seja um dos motivos do vídeo não ser tão popular…Veja e tire suas próprias conclusões:

8 – Think about You (Stradlin) 3:49 5/5

Outra pérola de Izzy Stradlin, desta vez o guitarrista base se empolga e toca o solo da canção, você que está lendo isso e não sabia que Izzy tocava o solo  pode se admirar…Ele faz um ótimo trabalho aqui em uma das melhores músicas do álbum! A voz de Axl está bem estilo Axl, odiada por muitos, aclamada por outros muitos, ao meu ver, não é muito técnica, mas no geral está boa! A não ser que diga algo subliminar ( sobre drogas, alcolismo e tals) a letra da canção é uma das mais melosas e fica em segundo plano. Think About You tem para mim um dos refrões mais bem elaborados do álbum e memoráveis também, o peso presente nos versos anteriores sendo amenizado. A canção não foi muito utilizada nos shows da banda e dificilmente volta a ser lembrada, uma pena, pois a considero uma das melhores!

9 – Sweet Child O’ Mine (Rose, Slash, Stradlin, Adler) 5:54 5/5

Pronto…Chegamos no ápice de Appetite For Destruction, o 9ª tape é aquela típica canção que pagodeiros, cowbois e funkeiros do mundo inteiro conhecem. É simplesmente ÍMPOSSIVEL não fechar os olhos e tocar uma guitarra no ar com a introdução deste hino! Slash detona em sua guitarra e deve agradecer muito a Papai do Céu por ter dado a ele  inspiração para ter composto esse hiper super mega power riff, conhecido até em outros planetas! Além de destacar a introdução com a guitarra de Slash, o solo do guitarrista também é muito digno aqui, a técnica muito apurada te deixa em êxtase. Após o show indivudual de Slash a banda inteira entra, destaque para o mini-solo do baixo de Duff, talvez esse seja um dos momentos mais memoráveis e marcantes da história do rock’n roll: esses 45 segundos iniciais de Sweet Child O’Mine. A voz de Axl está menos rasgada do que antes estava, o vocalista cantando com um timbre mais calmo, suave. Durante os versos comuns as guitarras ficam em segundo plano para brilhar a linha do baixo de Duff, novamente simples e muito bem audível. Um Hino muito dificil de ser descrito. Se você quer ouvir quase 6 minutos de perfeição, escute Sweet Child O’ Mine.

10 – You’re Crazy (Slash, Stradlin, Rose) 3:16 4/5

O ouvinte ainda está suspirando aqui!…Sweet Child O’ Mine com seus quase 6 minutos fazem todo mundo pirar. Quando se escuta a introdução de You’re Crazy o ouvinte estranha, pois nada igual tinha sido visto no álbum, a velocidade sendo exorbitante. Talvez a canção tenha fugido um pouco do ponto central do álbum, de solos complexos e refrões grudentos. A influência Punk, muitas vezes dita pela banda é notada ao máximo aqui!

11 – Anything Goes (Stradlin, Rose, Weber) 3:25 3/5

De longe a pior música do álbum! Digna de ser esquecida no fundo dos baús. Não estragou o álbum, mas poderia não ter sido adicionada ao set list de Appetite For Destruction. Eu entendo essa canção como sendo para encher linguiça e completar o álbum, os efeitos aqui eletrônicos adicionados, a estragaram. O refrão sem sucesso! Junto com a anterior forma o pior momento do álbum…Uma curiosidade, o novo Guns’n Roses chegou a regravar a canção….Por que será?

12 – Rocket Queen (Rose, Slash, Adler, Stradlin) 6:14 5/5

Após duas canções medianas, aparece outra faixa de brilho! Rocket Queen mostra um Adler furioso em sua bateria, principalmente em seu começo, o baterista dando a introdução da canção. Duff faz um solo de baixo magnífico no inicio desta faixa também, que tem de declaração de amor até gemido de sexo de uma acompanhante de Axl. Os efeitos mau utilizados na faixa anterior arregaçam aqui, principalmente no refrão, na voz de Axl, onde pode ser mais notado! Vale dizer que do meio para o fim a canção assume uma sonoridade totalmente diferente de seu começo, o riff tocado por Izzy e Slash em contraste com o baixo de Duff mostra a harmonia e a qualidade da banda…Ótimo momento do álbum…Appetite For Destruction se encerrava da maneira como havia começado… Com um clássico

Média do Álbum: 9/10





, , , ,

  1. #1 por Anderson em 12/01/2012 - 15:21

    You Coub By Mine era pra ser desse album,aí o mesmo ficaria melhor ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: