(1968)Deep Purple – Shades of Deep Purple


 

Capa do álbum

Rod Evans(vocais), Ritchie Blackmore(guitarra),Jon Lord(teclado),Nick Simper(baixo) e Ian Paice(bateria) se reúnem pra formar umas das melhores bandas de todos os tempos : DEEP PURPLE.

A banda surgiu no condado de Hertfordshire, o grupo se formou e começou a lançar vários sucessos consecutivos. Em menos de dois anos tinham 3 álbuns: Shades of Deep Purple, The Book of Taliensyn e Deep Purple. Suas musicas faziam muito sucesso por que abrangiam muitos gêneros musicais(clássico, pop, rock-blues e assim vai), como comentei no post do Thin Lizzy, Deep Purple e Black Sabbath são pais no mundo do Hard Rock e Heavy Metal, sempre revolucionando e nunca perdendo “o jeito” de fazer o melhor rock de todos.

Lembrando que uma característica muito forte do Deep Purple é o teclado e a guitarra juntos tanto em riffs como em solos.

Antes de começar vale a pena lembrar também que no álbum temos um cover de “The Beatles – Help” e também “Jimi Hendrix – Hey Joe!” e que Shades of Deep Purple foi relançado em 2000 contendo 5 faixas bonus, onde 4 eram regravações de musicas já existentes no álbum e a quinta faixa era inédita no álbum, “Shadows”.

Melhor Música: Hush

Pior Música: I’m So Glad (A música começa perto dos 2:40, antes disso é a Prelude: Happiness)

01.”And the Address” (Ritchie Blackmore, Jon Lord) – 4:38    5/5

Começamos com um ótimo musical, quero dizer, não temos vocal nessa faixa, mas isso é muito bem recompensado. A banda começa a faixa com o teclado e a bateria fazendo um suspense até que a guitarra entra dando inicio ao que me parece uma brincadeira, um tipo de improviso entre amigos na garagem (como eu gostaria de improvisar assim), mantendo uma batida e melodia gostosa. Todos ficam de fundo quando chega o solo de Jon Lord que é o ponto alto da faixa, não que ela tenha seus pontos baixos.

02.”Hush” (Joe South) – 4:24    5/5

A música foi feita por Joe South (um cara do mundo country/rock) para a banda e logo se tornou o primeiro single do Deep Purple. A faixa é simplesmente incrível, animada e tem uns ” nanananana” muito bacanas, isso sem mencionar os versos, com uma levíssima puxada country ela agrada todos, ainda mais no solo de Jon Lord e bem no finalzinho uma agitação maior dos instrumentos.
03.”One More Rainy Day”
(Rod Evans, Lord) – 3:40    5/5

Huhuhu Jon Lord começa essa com tudo e a banda vem vindo atrás com uma excelente levada, então o vocal começa e todos se acalmam. Enquanto Rod Evans e o pessoal da banda fica mais tímidos, mas sempre encontram um brechinha pra voltarem com tudo, menos Jon Lord que no fundo vai mostrando toda sua perícia no teclado.
04. a) “Prelude: Happiness”
(Rimsky-Korsakov, Evans, Blackmore, Nick Simper, Lord, Ian Paice) 4/5
b) “I’m So Glad”
(Skip James) – 7:19     3/5

Essa faixa funciona como duas(e vou julgar cada um por si própria), como se “Prelude: Happiness” abrisse o show da “I’m So Glad” (Óbvio), o “Prelude…” é uma parte da faixa bem interessante, o instrumental bem trabalhado mostra um pouco da influência de música clássica que a banda tem. Embora não tenha vocal, as repetições dão um drama excelente aqui que estoura seguindo o ritmo dado por Ian Paice, e acaba logo não chegando a durar nem 2:30.

Uma grande abertura deveria ser seguida de uma grande música, mas não é o que acontece aqui. Embora o solo seja grandioso, a faixa fica monótona por que só tem uma frase e o instrumental não mostra muita coisa por si só, tornando o que deveria ser uma grande música numa faixa qualquer do álbum.
05.”Mandrake Root”
(Evans, Blackmore, Lord) – 6:09    5/5

Adora essa faixa, Ian Paice tem ótimas viradas aqui e junto de Jon Lord eles arrebentam fazendo uma dos melhores solos que eu já vi, isso claro sem mencionar o Blackmore que nunca perde “o poder” aparecendo discretamente na base e com frases marcantes, além de seu solo que aparece depois do show de baixo e bateria e que eleva o nível da faixa, mostrando que mesmo o último segundo pode ser aproveitado.
06.”Help!”
(Lennon/McCartney) – 6:01     3/5

Com mais do que o dobro de duração da música original dos Beatles o arranjo feito pelo Deep Purple é bom, disso não passa. Eu sou suspeito pra falar dessa faixa por que sou um anti-Beatles, mas manterei minha opinião pessoal de lado. Embora não goste de admitir,  a versão original é melhor que esse arranjo que ficou muito meloso, o ponto alto são os solos de Jon e Blackmore.
07.”Love Help Me”
(Evans, Blackmore) – 3:49   5/5

O começo típico do álbum (um barulho de fundo que vai aumentando até bateria, baixo e/ou teclado entrarem em cena), cria o mistério antes da guitarra rasgar tudo com a frase inicial da música e seguir em frente. Essa faixa é animada e tem um leve toque de boogie uggie, mas não se engane, temos todo o poder do Deep Purple aqui. Eles criam versos cativantes e frases instrumentais marcantes, fazendo surgir do nada a guitarra cheia de ruido e viradas de bateria inigualáveis.
08.”Hey Joe”
(Billy Roberts) – 7:33     4/5

Antes de começarem o cover a banda faz uma marcha espanhola ou algo muito similar,  que depois é introduzida no meio da música dando um ar totalmente diferente para esse clássico de Jimi Hendrix, que ao meu ver fica bom. Alem de ter o toque original, eles mantém o estilo da música, o problema é que a faixa não fecha muito bem o álbum deixando um ” quero mais” no ar em vez de dar o ponto final.

Média do álbum: 8/10

, , , , , , ,

  1. Tweets that mention (1968)Deep Purple – Shades of Deep Purple « Roque Veloz /,,/ -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: