(1996) Rage Against the Machine – Evil Empire


Capa do album.

Conforme pedido via twitter =)

Rage Against the Machine com certeza é uma das bandas mais dificeis de se fazer um review sobre. Em cada albúm está contido um contexto político/social que é mostrado em suas letras cheias de sátiras. Portanto, caso eu deixe passar alguma coisa, mil perdões. Mas tenha certeza de que uma coisa eu vou falar bem detalhado para vocês sobre o album: Instrumental.

Mas vamos lá.

A frase “Evil Empire”(império maligno) foi uma frase usada pelo então presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan para descrever a União soviética.

A imagem da capa é uma imagem alterada e possui Ari Meisel (um jovem que com 24 ja havia fundado 4 empresas) como protagonista. Os dizeres “Evil empire” e a letra “e” era originalmente “Crimel Buster” e a letra “C”.

Agora vamos falar de musica:

1 – People of the Sun (B)

A letra de People of the Sun é inspirada no movimento Zapatista.

O Movimento Zapatista inspirou-se na luta de Emiliano Zapata contra o regime autocrático de Porfirio Díaz que encadeou a Revolução Mexicana em 1910. Os zapatistas tiveram mais visibilidade para o grande público a partir de 1 de janeiro de 1994 quando se mostraram para além das montanhas de Chiapas com capuzes pretos e armas nas mãos dizendo Ya Basta! (Já Basta!) contra o NAFTA (acordo de livre comércio entre México, Estados Unidos e Canadá) que foi criado na mesma data.
O movimento defende uma gestão democrática do território, a participação direta da população, a partilha da terra e da colheita.

O Movimento Zapatista inspirou-se na luta de Emiliano Zapata contra o regime autocrático de Porfirio Díaz que encadeou a Revolução Mexicana em 1910. Os zapatistas tiveram mais visibilidade para o grande público a partir de 1 de janeiro de 1994 quando se mostraram para além das montanhas de Chiapas com capuzes pretos e armas nas mãos dizendo Ya Basta! (Já Basta!) contra o NAFTA (acordo de livre comércio entre México, Estados Unidos e Canadá) que foi criado na mesma data.O movimento defende uma gestão democrática do território, a participação direta da população, a partilha da terra e da colheita. ( wikipédia baby).

Ela foi escrita depois da visita de Zack de la Rocha á cidade de Chiapas, ao sul do México.

Em termos de música em si, penso que é uma ótima maneira de se iniciar o album. Com um efeito stereo, um riff de guitarra e depois uma batida funk/hip hop ao melhor estilo RATM. Tom Morello ( guitarra) como sempre inovando nos efeitos, usando wah wah no refrão. Aos 1:25 mais ou menos temos uma dinamica interessantissima na musica. Tom Morello faz um “riff”completamente dissonante, contudo, por ser Funk, esse Riff soa muito bem, coisa que apenas Tom Morello sabe fazer hehe ;D

2 – Bulls on Parade (A) – Melhor música.


Uma das melhores músicas do album.

Começas com um ótimo riff apenas oitavado e depois um groove com wah wah.Quando entramos no verso, a música “limpa” apenas com um riff de guitarra muito bem definido…e sempre com a levada funk/hip hop do Rage Against the Machine.

A dinamica dessa música é muito bem feita. Diferente de People of the Sun que é “constante”, Bulls on Parade tem diversas mudanças ao longo de sua execução.

Enfim, o solo. Antes disso, podemos ouvir ótimos riffs de baixo do baixista Tim Commeford.

O solo é feito usando- se o recurso “killswitch”, onde o som da guitarra é cortado. Além disso, Tom Morello esfrega sua mao nas cordas, dando esse efeito de “scratch” tão interessante.

Isso pode ser feito em modelos Les Paul ao zerar o volume dos captadores mais proximos á escala e ficar trocando a chave seletora de captadores de posição. Contudo, é feito também através de um botão.

A música fala sobre o complexo militar-indutrial. Para quem não sabe, complexo militar-industrial é um conceito normalmente usado para se referir ao relacionamento político entre as forças armadas de um governo nacional e a indústria, a fim de obter para o setor privado a aprovação política para pesquisa, desenvolvimento e produção, assim como o apoio para treinos militares, armas, equipamentos e instalações com a defesa nacional e a segurança política.

Versos na musica como “Weapons not food, not homes, not shoes, not need, just feed the war cannibal animal” (armas, não comida, não abitaçoes, não calçados, apenas alimente a guerra animal canibal – Esse “não” é usado no sentido de o governo apoiar uma causa e não a outra. No caso, armas (e) não habitaçÕes) , e “They don’t gotta burn tha books they just remove ‘em” ( eles não tem que queimar os livros, eles apenas os removem – algo que temos bastante em nosso Brasil. QUem nunca ficou sem livro na escola? haha) são exemplos de citações do complexo militar – industrial durante a música.

Bulls on Parade é uma das musicas mais conhecidas da banda, tendo aparecido no jogo Guitar Hero III onde se obtém após derrotar Tom Morello em um duelo de guitarra.

3 –  Vietnow (C)

A música possui um Riff que, de acordo com Tom Morello, foi inspirada em uma música do Led Zeppelin (the wanton song).

Apesar de ser uma música legal, não é uma das que mais me agradam…

A música mantem uma dinamica, exceto na parte pré-coro…que aí tem uma mudança bem pouca. Mas o riff esta presente durante quase toda a musica…variando poucas vezes.

Ao fim da música ocorreu uma mudança total…que eu particularmente não gostei.Após vem um “solo”simples e talz…sem novidade.

A letra da música fala sobre os programas  da Radio AM.

Além disso, possui inumeras referencias ao cristianismo, devido ao fato de de haver varios shows deles na época nos rádios.

4 – Revolver (B)

Apesar de até gostar dessa música e dos riffs bons não é uma musica que eu indicaria para alguem que nunca ouviu rage na vida.Mas a musica é boa sim, principalmente no refrão

Até então existiam alguns artigos e textos na internet que me ajudaram a explicar as outras musicas. Contudo, não achei isso para Revolver.Contudo, a história que a música passa, a meu ver, é de uma mãe, que tem uma vida de “pai” por causa do “Revolver”, que provavelmente tirou a vida do suposto “pai”.Contudo, podemos observar na letra que é a própria mãe quem tira a vida desse suposto pai

Contudo, seu trabalho não é algo digno ( “His spit is worth more than her work” – “Seu ( referindo-se á alguem do sexo masculino)  cuspe é mais digno do que seu trabalho”, e no refrão, após descrever a vida do suposto pai, como tendo comprado a familia com dinheiro e tal, a mãe faz uma pergunta retória á arma, antes ou após o assassinato: “Hey revolver, don’t mothers make good fathers?Revolver – Hey Revolver, mãe não podem ser bons pais? Revolver!”), passando a idéia que sendo mãe e pai ela seria melhor do que o suposto pai que iria ser assassinado ( “Her body numbs as he approaches the door” – O corpo dela adormece enquanto ele se aproxima da porta).

Boa música, não há muito o que ressaltar tratando-se de instumental. Só possui um riff bem legal, como sempre.

5 – Snakecharmer (C)

Boa música, bom riff, boa energia, boa ponte, bom solo.

Basicamente, a música critica o capitalismo ( “oh greed oh yeah! – oh ganancia oh ganancia!”) e como o sonho americano é vazio…visto que esté é apenas você ter dinheiro para no final…para que mesmo?

Acho que na parte “Vomit all ideals and serve, Sleep and wake and serve, And don’t just think just wake and serve ( votime todos os ideais garoto, durma, acorde e sirva, e não pense, apenas sirva)” há uma referencia á dominação e alienação da parte do exército sobre os jovens, mas também pode ser aplicada ao capitalismo em si, se tomarmos o “servir” como servir ao sistema capitalista.

6 – Tire me (C)

De acordo com Zack de la Rocha ( vocalista), a música é a comemoração da morte de Richard Milhous Nixon .

Ainda, há algumas referencias á Kennedy ( “I wanna be Jackie Onassis. I wanna wear a pair of dark sunglasses. I wanna be Jackie O. Oh, oh, oh please don’t die!”), supostamente insunuando a participação no assassinato de Kennedy.

Se você ficou curioso sobre a letra, boa sorte pra pesquisar mais haha ;D

Música muito bem construída. Inicia-se com um riff de baixo e depois mais um daqueles “barulhinhos” de Tom Morello.Aos 39 s temos um riff de ponte., mto bem colocado.Aos 01:02 temos uma ponte limpa…e após o refrao e o solo, este novamente usando  o killswitch e wah wah. Depois a unica coisa bem legal é a limpada total que dá.

7 – Down Rodeo (C)

The lyrics appear to deal with the social inequality between the rich and poor of America, and class war. The verse states “So now I’m rollin’ down Rodeo with a shotgun, These people ain’t seen a brown skin man, Since their grandparents bought one”. These lines, and also the title, are a direct reference to Rodeo Drive in Beverly HillsCalifornia, one of the wealthiest shopping districts in the world. The line “Fuck the G-rides, I want the machines that are making them” is a reference to workers’ self-management. There is speculation that the title stems from the 1992 LA Riots. The title and lyrics could also possibly be referring to a tactic used by the Black Panther Party in which they would carry shotguns in full view down California streets. There is also a reference to Black Panther activist Fred Hampton.

Down Rodeo made its live debut at a secret show on April 19th, 1996, at the Dragonfly in Los Angeles, CA.

A letra aparentemente trada da diiferença social entre o rico e o pobre americano, e guerra de classes. O verso afirma ” “So now I’m rollin’ down Rodeo with a shotgun, These people ain’t seen a brown skin man, Since their grandparents bought one” ( então estou indo para Rodeo com uma shotgun, essas pessoas não vem um homem negro desde que seus pais compraram um”. Esse verso, e tambem o titulo, são uma referencia diretao ao “Rodeo Drive”, em Beverly Hills, California, um dos shoppings mais “refinados” do mundo.

O titulo e a letra tambem podem possivelmente ser referencia ;a tatica usada pela “black panther party ( grupo pantera negra, ou algo assim =S) em que eles carregariam shotguns ás mostra nas ruas de california.Há tambem uma referencia ao ativista deste grupo: Fred Hampton.

 

Música inicia-se com riffs, e mantem- se assim até 04: 50, quando limpa completamente. Acho bem legal essa parte. Bem funk.;Otima maneira de se terminar uma musica com uma boa dinamica.

 

8 -Without a face (B)

De acordo com o depoimento de Zack de la Rocha no album ao vivo “live and rare”:

 

“They say that as soon as the wall in Germany fell that the US government was busy building another one at the border between the US and Mexico. Since 1986 as a result of a lot of the hate talk and histeriam that the government of the United States has been speaking, 1500 bodies have been found on the border. We wrote this song in response to it. It’s called Without a Face.”

-Zack de la Rocha (Live & Rare album”

 

Eles dizem quem assim que o muro na alemanha caiou que o governo americano estava ocupado contruindo outtro na frontreira entre os EUA e o Mexico. Desde 1986, como resultado de muita conversa de ódio que o governo americano estava falando, 1500 corpo foram encontrados na fronteira. Nós escrevemos esta musca como resposta a isso. É chamada “sem um rosto”.

 

Música muito boa. Limpa nos versos e explosiva nos refrões.E no final é extremamente mais pesada.

9 – Wind Below (C)

Uma música bem funk.Mais hip hop do que funk…mas funk ainda assim. Um solo mais estranho do que os outros de Tom morello, usando whammy provavelmente (pedal oitavador).

A crescida aos 4 e 40 é de longe a melhor parte da música.É uma melodia beem arrastada, mas muito boa.

 

A letra…bem :

 

 

NAFTA is the North American Free Trade Agreement. agreement between Mexico, the U.S, and Canada. no, mexico was not tricked into it and is not trapped in it. it was signed by the mexican government, because it greatly benefits the rich of mexico (who make up the government), even though it greatly hurts the poor, who had almost no say in the signing, if any.

 

the name “Wind Below” is derived from the title of a section in an article written by Subcommandante Marcos, entitled “A Storm and A Prophecy”. the section is entitled “The Second Wind: A Wind from Below”. it was written in August 1992, and released to the public January 27, 1994, and can be found in his book “Our Word is Our Weapon”.

 

“the masked ones”

this is a reference to the Zapatistas, who always wear black ski masks to hide their faces.

 

“the Ayala kin are comin’ back around again”

this is possibly a reference to the municipality of Ayala in Morelos, Mexico. Emiliano Zapata was born in a town within this municipilaty. the Zapatistas see themselves as the ideological heirs to Emiliano Zapata, and they derived their name from his.

 

“them bury life wit IMF shifts”

this is possibly a reference to the International Monetary Fund, an international organization which oversees exchange rates and balance of payments, also offering financial assistance when needed. it has often been criticized for for supporting capitalistic military dictatorships which are friendly to American and European corporations. they’ve also been criticized for being apathetic towards democracy, human rights, and labor rights. lastly, the criticisms generated a controversy which helped start up the Anti-Globalization movement, which the Zapatistas consider themselves part of.

 

Chol, Tzotzil, Tojolobal, and Tzeltal are all Mayan indigineous groups (as well as languages). These ethnic groups all reside in Chiapas, the home of the Zapatista Movement.

 

GE (general electric), NBC, Disney, and ABC are all large multinational corporations based in America. GE has been caught trying to profit any way possible, including dumping 100,000 tons of hazardous chemicals, illegally selling weapons to Israel, or defrauding the American government.

 

“they force our ears to go deaf to the screams in the south”

this is a continuation of the above-mentioned corporations, all who are part of the media. their broadcasts, it seems, try to put our minds on other things and attempt make us forget about the horrible things happening in Chiapas and other parts of Mexico and Central America.

 

if i made any mistakes, feel free to correct me”

 

QUalquer dia eu traduzo… =P

 

10 – Roll Right (A)

De longe, um dos melhores riffs do album.

O refrão é viciante: “Roll right, roll call!”. Muita dinamica.

 

No meio existe um “solo” do Tom Morello…feito com killswitch e provavelmente whammy,

Letra :


A letra fala de como os governos ( corruptos ou em parte) conseguem controlar pessos e como eles tem essas pessoas tao alienadas em respeitar a autoridade, que elas obedecem sem questionar  (“here comes the hands on the leashes”), e como existe esse negócio de elas dizerem e nós obedecermos, seguindo cegamente ( “roll right roll call”).

 

11 –  Year of tha boomerang

Se alguem souber como o Tom Morello faz esses barulhinhos no começo da musica, pronuncie-se ;D

 

Depois da intro, vem um riff muito funk…bem legal mesmo.

 

A partir dos 3 min e  pouco, a musica muda totalmente. Fica bem mais agressiva. Bem legal mesmo.

 

A letra  fala basicamente das minorias e igualdade. Se quiser mais informações : http://en.wikipedia.org/wiki/Year_of_tha_Boomerang . Um dia talvez eu traduzo.

 

 

Enfim.

 

Média do album – B

Não  é o album que eu recomendaria pra quem está começando a conhecer Rage  agora. É um ótimo album, mas penso que os outros albuns do Rage ( com exceção do Renegades) possuem faixas mais legais.

Enfim, Rage é uma ótima banda. Vale a pena curtir cada musicas e riffs. Possuem letras extremamente complicadas, mas muito relevantes.Se voce curte politica e etc, certamente ira gostar bastante das letras. Se Não, vai gostar mesmo é do instrumental.

 

Para quem vive em uma bolha, o grupo Rage Against the Machine fará um show do SWU, dia 09. Primeiro show na america Latina.

 

 

Putz…terminei!

 

 

Gostou? Comente, e não se esqueça da média em estrelas lá em cima😉


, , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: