Arquivo de 29 setembro, 2010

(1992) Ramones – Mondo Bizarro

“Definitivamente Eu Não Gosto Desse Álbum” – Johnny Ramone

Em 1992 os Ramones lançavam seu 12ª álbum de estúdio, e nele conseguiam um fato quase que inédito: Obter crédito e elogio da crítica! Não que isso importasse para a banda, pois os álbuns anteriores eram fracassos de mídia e a crítica caia em cima de uma forma negativa! (Excessão do último lançamento da banda Brain Drain) Chegando a alcançar o TOP 200 da Billboard, Mondo Bizarro é um clássico, amado por uns, e odiado por outros ( entre eles está o próprio guitarrista da banda, que no documentário Ramones Raw, que aliás eu recomendo, fala que não gosta do álbum), talvez por ter músicas que beiram os 4 minutos e também por serem mais “complexas” de acordo com a ideologia da banda, de fazer músicas rápidas de riffs simples. C.J.Ramone faz sua estréia aqui como membro da banda, trazendo toda sua energia e juventude. É dificíl substituir Dee Dee Ramone que mesmo não tocando aqui, ajudou a banda a compor algumas músicas!….GO GO RAMONES!

Melhor Música: Strength to Endure

Pior Música: Main Man

1 – Censorshit (Joey) (3:13) 5/5

A primeira canção do álbum é de autoria plena do vocalista Joey Ramone, essa música antes de lançada em Mondo Bizarro foi muitas vezes utilizada pelo vocalista em seus shows da carreira solo, então por isso não foi surpresa a audição dela por partes dos fãs da banda e do cantor. A letra é muito inspirada, critíca a censura americana instaurada pelo PMRC ( Clique aqui para saber mais sobre o movimento), destaco esse verso da canção:

Ask Ozzy and Zappa or Me We ‘ll Show You What it’s Like to be Free

Pergunte para o Ozzy e o Zappa ou para mim, Nós lhe mostraremos o que é ser livre!

Falando da música em si, o riff acelerado de Johnny na guitarra deixa a marca da banda na primeira faixa, que com a letra séria foge um pouco dos padrões dos Ramones. A música de 3 minutos é acelerada e com o refrão que não exige muito da voz de Joey se torna uma bela abertura e destaque! Joey se mostra um belíssimo compositor aqui!

Leia o resto deste post »

, , , , ,

Deixe um comentário

(1967)The Doors – The Doors

 

Capa do álbum

 

“Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria ao homem como é, infinito …” William Blake

Dessa frase surgiu o nome da banda The Doors, o grupo teve grande repercussão na sua época fundado por Jim Morrison(Vocal) e Ray Manzarek(Tecladista) que queriam passar uma mensagem pro seu publico, logo se juntaram com John Densmore(Bateria) e Robby Krieger(Guitarrista) começaram a compor diversas musicas com influencia do blues, jazz, flamenco e até bossa nova, se você passou por um dia estressante e não aguenta mais nada deite no sofá, feche os olhos e ligue o stereo com The Doors no volume máximo, pois não vai querer perde nenhum segundo dessa viagem pro fundo da sua mente e historia do rock.

Melhor música : Light my Fire.

Pior música : End of the Night

1.“Break on Through (To the Other Side)” (Jim Morrison) – 2:29  5/5

Começa com uma bateria de blues/jazz que permanece na mesma levada gostosa a musica inteira, logo entram a guitarra e o teclado animando qualquer um, o vocal entra com tudo completando essa sinfonia, mas o ponto alto mesmo está no solo de teclado que misto com o vocal se tornam uma viagem para a imaginação afastando todos males dos ouvintes.

Leia o resto deste post »

, , , , ,

3 Comentários

%d blogueiros gostam disto: