Arquivo de 24 setembro, 2010

(1984) W.A.S.P. – W.A.S.P. + Animal (Fuck Like A Beast) [Single] + Senta que lá vem história…

Em 1984, ocorre o estouro de mais uma das muitas bandas de hard rock da época, porém essa era diferente. O W.A.S.P. era a banda mais sanguinária, devassa e fora dos padrões que se podia imaginar na época, fato notado tanto em suas letras quanto em seus shows, onde o baixista/vocalista Blackie Lawless arremessava pedaços de carne crua ao púbico e encenava a execução de uma mulher semi-nua no palco, no melhor estilo Alice Cooper. O álbum de estréia do W.A.S.P. (inicialmente entitulado “Winged Assassins”), contava com a faixa “Animal (Fuck Like  A Beast)”, que foi retirada do LP devido ao seu conteúdo, e lançada no mesmo ano como um single por um selo independente. Em relançamentos posteriores, as faixas do single foram incluídas no álbum, portanto temos aqui a análise de um single e um álbum, porém avaliados em conjunto. Confuso? Prepare sua picanha mal passada, pegue sua garota de jeito e ligue o som. Tudo será esclarecido nas próximas linhas. \,,/

Melhor música: Show No Mercy

Pior música: The Flame

Animal (Fuck Like A Beast) [Single]

1 – Animal (Fuck Like A Beast) (3:07) 5/5

O W.A.S.P. vem ao mundo com um de seus clássicos seminais. O riff é certeiro, e o refrão, apesar de seguir a linha das bandas de hard rock da época, não apaga o brilho da faixa, com os vocais agressivos e rasgados de Blackie Lawless. Obviamente a faixa foi alvo de grupos conservadores nos EUA (particularmente o PMRC) devido à sua letra, que cita sexo explícito. No final do post, falarei mais sobre PMRC e as esposas dos senadores. No mais, “Animal…” é um hino do W.A.S.P., que infelizmente não é mais tocado nos shows, devido à recente conversão de Lawless ao protestantismo, o que pôs fim aos clássicos e polêmicos shows teatrais da banda.

Leia o resto deste post »

, , , , , , , , , , , , , , ,

8 Comentários

(2008) Edguy – Tinnitus Sanctus

Capa

Capa bem sádica, deste 9ª lançamento da banda alemã. Aqui o som da banda do ótimo Tobias Sammet beira um Hard Rock, muito bem feito. Na minha humilde opinião aqui está o melhor trabalho da banda, que em termos de sonoridade difere bastante dos primeiros lançamentos do Edguy, por essa razão muitos fãs criticaram o álbum, toda via, muitos outros começaram a surgir. Este seria o último trabalho do grupo até agora e criticaria de forma aberta o “criador” . Belissimo álbum!

Melhor Música: The Pride of Creation


Pior Música: Nine Lives


1 – Ministry of Saints (5:02) 5/5

Começamos com o single do álbum. Todo single não é single a toa, há uma razão para ser single:  Ser uma música boa, e que a banda acha que irá repercurtir de uma boa forma entre os fãs e a crítica. Ministry of Saints foi uma ótima escolha! Abre de uma forma energética o álbum e mostra a qualidade dos integrantes da banda. Jens Ludwig é o grande destaque aqui, o guitarrista faz um belo solo e empolga os fãs. As mudanças de tempo na canção em diversos momentos também faz parte do ápice, junto com o refrão cantado em coro e grudento.

Leia o resto deste post »

, , , , ,

1 comentário

%d blogueiros gostam disto: