(2010) Crashdiet – Generation Wild


Capa

-Janeiro de 2009 e o Crashdiet anuncia que planeja trabalhar em um novo CD para o estardalhaço de seus fãs…

-Fevereiro do ano de 2009 o Crashdiet anuncia a ruptura com o vocalista Olivier Twist, para a lamentação dos fãs (da grande maioria ao menos)…

-Julho de 2009 a banda anuncia Simon Cruz como o substituto…

-Abril de 2010 a banda lança Generation Wild, que  fazia mais uma vez todos se perguntarem se a banda conseguiria dar a volta por cima com outro novo integrante. Esse é o 3ª trabalho da banda suéca com o 3ª vocalista diferente eis aqui um dos álbuns mais esperados do ano!

Melhor Música: Chemical


Pior Música: Down With the Dust


1 – Intro (0:53)

Como o nome diz a primeira faixa é apenas uma introdução barulhenta cheia de alarmes e algumas batidas da bateria, nada ainda de guitarra, baixo e a tão esperada voz de Simon Cruz.

2 – Armageddon (Cruz, Sweet, Gunn) (4:06) 5/5

A primeira música de fato do álbum nos apresenta um Crashdiet energético e contagiante. Cruz não decepciona os críticos e fãs que nunca o haviam ouvido, sua voz não foge muito do tom da voz do antigo vocalista Twist, aqui ele já mostra seu potencial , um agudo explêndido… Na sua primeira apresentação é muito ajudado pelos backing vocals, que muitas vezes aparecem nesse novo trabalho da banda… Armageddon é uma bela faixa de entrada que matava a saudade dos fãs pela banda!

3 – So Alive (Sweet, Cruz, Gunn) (4:11) 4,5/5

A peteca não cai na segunda faixa. So Alive é repleta de efeitos principalmente da guitarra de Martin Sweet e da voz de Cruz, que ficaram ótimos. Aqui os solos dignos de Martin Sweet são retomados após o último lançamento da banda… Belíssima música que conta com muitos berros do novo cantor e com um refrão grudento e bem cantado.

4 – Generation Wild (Sweet, London,Cruz, Gunn,Magnusson, Ramstron) (3:55) 5/5

A faixa título do álbum é também o single deste. O clipe de Generation Wild foi censurado pela MTV por conter imagens obcenas e a música em si é a que mais agradou os fãs que chegaram a relembrar o clássico álbum Rest in Sleaze aqui na 4ª faixa. Os efeitos aplicados aqui na voz de Cruz novamente merecem destaque, eu que particularmente odeio efeitos eletrônicos me rendi aos daqui. Os backing vocals como citado anteriormente fazem muita participação durante toda a música, principalmente no refrão que é um dos melhores do álbum. Eis aqui Generation Wild o novo clássico do Crashdiet.

5 – Rebel (Cruz, Sweet)(3:23) 4,5/5

Cruz como pode ser percebido assina todas as 4 primeiras faixas nas composições… O vocalista além de ser ótimo, é também um exímino compositor e isso fica claro na música anterior. A introdução da 5ª faixa chega a lembrar os americanos do Motley Crue, tamanha a inspiração. A velocidade aqui é suprema em relação as faixas anteriores… O refrão é energético e cantado aos gritos por Cruz ajudado como sempre pelos backing vocals. Sweet segura em sua guitarra um riff acelerado e na hora dos 2 minutos de fama agrada com seu solo… Boa música, mais rápida, mais sleaze, e mais despretenciosa do que as anteriores. Cruz está em uma de suas melhores apresentações aqui, novamente seus agudos se sobressaindo!

6 – Save Her(Gunn, Sweet) (3:26) 4,5/5

Uma das mais lentas, Save Her tem uma refrão muito apelativo no sentindo da utilização dos backing vocals, muitas vezes repetido tem a letra mais mela cueca, juntamente com a melódia. Não é uma música ruim, ao contrário é ótima, mas se comparada com as anteriores não é destaque, uma das únicas que o novo membro Simon Cruz não assina  na composição. Vale exaltar os backing vocals que muito presentes cantam em sua melhor perfomace!

7 – Down with the Dust( Young) (2:47) 4/5

O baterista Eric Young pega a caneta e escreve sozinho a 7ª track, a menor faixa do álbum. Aqui não há nada de especial que não pode ser visto nas faixas anteriores, nada acrescenta ao álbum e com tantas faixas boas é rara ser lembrada depois do álbum ser escutado!

8 – Native Nature (Cruz, Magusson, Sweet, Ramstrom) (4:28) 5/5

Native Nature poderia ter sido lançada em algum álbum do Skid Row que seria bem aceita, o Crashdiet aqui se parece muito com a banda americana. Um dos destaques, que alterna ótimos momentos com a guitarra e também com o violão… O refrão é um grande ponto positivo, o ápice das lembranças com o Skid. Ótima!

9 – Chemical (Sweet, Gunn)(4:16) 5/5

Definitivamente aqui está a melhor música do álbum… Os backing vocals utilizados com muita frequência em todas as músicas beiram a perfeição aqui… Chemical tem uma introdução lenta, e um riff de guitarra belo e  bem trabalhado pelos conceitos da banda… Os segundos passam e ela adquiri um certo peso e velocidade, toda via nada como as canções anteriores, Chemical é muito mais cadenciada! O refrão grande, é cantado as pressas por toda a banda e se torna expetacular, e o solo de Martin Sweet logo após esse é de se admirar!… Outro clássico que merece ser ouvido com atenção… Boa bangueada… O ápice que mostra que os anos passam e mesmo assim o Crashdiet continua o mesmo!

10 – Bound to Fall (Young, Cruz, London) (4:15) 5/5

Outra música que dispensa a velocidade e o peso. Bound to Fall junto com a canção anterior forma um dos melhores momentos do álbum. É outro belo destaque que foge do som sleaze da banda, o Hard Rock aqui se torna mais evidente. Os backing vocals novamente se destacando… Sweet com sua guitarra totalmente inspirado. Se o álbum terminasse aqui fecharia com um som digno!

11 – Beautiful Pain (Cruz, Sweet) (4:42) 5/5

Mas não… O álbum se encerra com Beautiful Pain… Outra pérola do Crashdiet, a introdução da música é uma das mais belas, é lenta e quem a esta ouvindo pensa que a qualquer instante ela vai estourar, mas nunca adivinha quando… Outro Hard Rock de primeira feita por essa banda rotulada como Sleaze. Beautiful Pain é cantada por um Simon Cruz em uma de suas melhores apresentações…A música de encerramento é pra mim a segunda melhor deste, e tem o melhor solo de Sweet na guitarra. O refrão muitas vezes cantando não enjoa… Muito digna de se encerrar este belissimo álbum de uma das bandas mais importantes da atualidade!

Média do Álbum: 9,5/10

RIOT IN THE STREETS

FIGHTING AND DEBRIS

RAISE YOUR FIST HIGH…THE GENERATION WIIIIIILD!



♥s

, , , ,

  1. #1 por Anonimo em 25/11/2010 - 12:31

    Cara, se você ouvisse as duas faixas bônus (Fear Control e One of a Kind), te garanto que o CD ganharia um belo 10..
    Gostei bastante desse review, estão de parabéns o/

  2. #2 por Karina em 05/12/2010 - 1:16

    Discordo sobre Down with the Dust. É uma ótima música. Esse cd deve virar um clássico em breve. Todas as músicas são boas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: