(2008) Alice Cooper – Along Came A Spider


Já deu pra notar que o pessoal por aqui curte bastante o trabalho de Alice Cooper. So, here we go again…

Along Came A Spider é o retorno de Alice aos álbuns conceituais. O álbum conta a história de um serial-killer de codenome Spider, que tinha uma insana fantasia: cortava uma perna de cada uma de suas vítimas (todas mulheres) para formar uma “aranha” com 8 pernas. Mas Spider acaba se apaixonando por aquela que seria a última vítima, colocando em risco todo seu elaborado plano. Sonoramente, o álbum apresenta um hard rock bem direto, com alguns toques de modernidade, presentes nos últimos trabalhos da Tia Alice. Liricamente é sem dúvida um dos melhores trabalhos da Tia. Maravilhoso.

Melhor música: The One That Got Away

Pior música: Wake The Dead

1 – Prologue / I Know Where You Live (Cooper/Saber/Hampton) (4:21) 5/5

O prólogo seria uma gravação da polícia sobre o recém-encontrado diário de Spider, e dá início à primeira faixa. A letra fantástica fala sobre o serial-killer observando uma vítima antes de se aproximar dela. Acaba destoando um pouco da música, um hardão animado com refrão bem grudento e um riff bem legal. Ótima faixa.

2 – Vengeance Is Mine (Cooper/Saber/Hampton) (4:26) 5/5

A faixa mais pesada do álbum, chegando a lembrar até alguma coisa do ótimo Brutal Planet de 2000. Conta com a participação de Slash, que sola bastante durante quase toda a música. Não sou lá muito fã do “Primo It”, mas ele da um toque especial aqui, tornando o clima mais agressivo para a ira do serial-killer.

3 – Wake The Dead (Cooper/Osbourne/Saber) (3:53) 1/5

Único tropeço do album. Tudo aqui é chato! O clima “eletrônico” demais, a insistente gaita tocada por Ozzy Osbourne (que também compôs a música) e um refrão que não merece outro adjetivo se não: ruim. Próxima, por favor…

4 – Catch Me If You Can (Cooper/Saber/Hampton) (3:15) 4/5

Voltamos ao bom nível com a quarta faixa! Com um dos refrões mais legais do álbum e mais uma letra fantástica, aqui Spider fala sobre sua necessidade de continuar matando. A música segue mais ou menos a linha da primeira, com um hard bem simples, direto, e animado.

5 – (In Touch With) Your Feminine Side (Cooper/Garric/Johnson/Kelli) (3:16) 5/5

Uma das melhores do disco. Aqui o bom trabalho fica por conta da banda de Alice, principalmente o baixista Chuck Garric e o experiente baterista Eric Singer, que impõem um andamento bem marcante na música, que também tem um refrão bem legal. Do caralho.

6 – Wrapped In Silk (Cooper/Saber/Hampton) (4:17) 5/5

Com um dos riffs mais simples e legais do álbum, aqui temos a narração de Spider sobre envolver suas vítimas em teia de aranha para depois cortar-lhes a perna. Tem também um refrão bem forte, mas o destaque vai para a letra muito bem escrita, assim como todas do álbum. Alice sempre explora bem o tema serial-killer, como podemos perceber nas três últimas músicas de Raise Your Fist And Yell (1987).

7 – Killed By Love (Cooper/Garric/Bacchi/Kelli) (3:34) 3/5

Temos aqui a primeira balada do álbum. A faixa mostra que Spider começa a se sensibilizar com suas vítimas, o que veremos mais claramente nas próximas faixas. Típica balada hard grudenta, refrão meio repetitivo.

8 – I’m Hungry (Cooper/Saber/Hampton) (3:58) 4/5

Com um riff e um clima que lembram bastante a clássica ‘Is It My Body?’ de 1971, temos aqui mais uma ótima letra. O refrão que repete somente o título da música, e o excesso de backin’ vocals não tira o mérito dessa ótima música.

9 – The One That Got Away (Cooper/Kelli/Lane) (3:21) 5/5

“You look like you’d fit in the trunk of my car…”. Com essas palavras Alice inicia essa ótima faixa, que narra a dúvida de Spider em abordar e executar aquela que seria sua última vítima. Com passagens até cômicas, incluído um díalogo entre e Spider e a vítima que ocorre na imaginação do serial-killer, é sem dúvida a melhor letra desse fantástico álbum. Um terror com pitadas de sarcasmo, bem característico de Alice, ótimo refrão e solo. Bom trabalho também do até então “sumido” Eric Singer nas baquetas, com ótimas viradas e marcação de rítimo. Música foda!

10 – Salvation (Cooper/Saber/Hampton/Fowler) (4:36) 5/5

Mais uma balada, essa bem melhor do que a anterior. Aqui Spider parece se arrepender de seus atos, e começa a ponderar sobre o real motivo de seus crimes, pensando se existe alguma chance de salvação para tudo que foi feito. Com um belo piano e certas partes orquestradas, e mais uma vez uma bela letra, é com certeza um dos momentos altos do álbum.

11 – I Am The Spider / Epilogue (Cooper/Saber/Hampton) (5:21) 5/5

Toda a personalidade sedutora e letal do serial-killer Spider, que vai sendo revelada ao longo do álbum, é sintetizada na última música do álbum. Tem um clima um tanto “eletrônico”, e é uma das mais pesadas do álbum. Cumpre bem a função de fechar o disco. Seguindo, temos o epílogo, onde ouvimos Alice (Spider) falar sobre a polícia ter achado seu diário onde os detalhes de todos os crimes foram registrados (registros esses que são basicamente as letras do álbum). No meio das divagações, Spider dirige-se a Steven, personagem quase mitológico da carreira de Alice, que aparece misteriosamente em vários álbuns e músicas. Acredita-se que Steven seja propriamente o personagem Alice Cooper, e que portanto, Spider, Steven e Alice sejam a mesma pessoa.

Média do álbum: 9/10


…When you sleep and you dream

and there’s no one there

(But I’m there!)

, , , , , , , ,

  1. (1980) Alice Cooper – Flush The Fashion (The Dark Years Pt. 1) « Roque Veloz /,,/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: