(1987) Pretty Maids – Future World


Capa

Future World é o segundo álbum da banda dinamarquesa de Heavy Metal Pretty Maids. É considerado pelos fãs, e por grande parte da crítica como o melhor álbum da banda! Foi produzido pelo aclamado produtor Eddie Kramer que entre outros trabalhos produziu clássicos como Love Gun e Rock’n Roll Over do KISSHouses of the Holy Physical Graffiti do Led Zeppelin… Apenas uma amostra do que estava por trás desse álbum de uma das bandas mais importantes da Dinamarca!

Melhor Música: Future World

Pior Música: Rodeo

1 – Future World (5:24)     5/5

Future World abre o álbum da melhor forma possível… Essa é talvez a canção que mais rendeu frutos ao Pretty Maids, certamente a mais aclamada por todos os fãs, um clássico. Future World é pesada e agressiva… A bateria tocada por Phil Moorhead dita um ritmo totalmente acelerado à música. Tenho a impressão que todo mundo que mora na Dinamarca já deve ter a ouvido em algum lugar… tem um belo refrão também com um bom riff de guitarra!

2 – We Come to Rock (4:30)     5/5

A segunda faixa do álbum começa menos pesada que a anterior. A voz de Ronnie Atkins aqui está estupenda, agressiva e com sua marca que começa a ficar evidente de acordo com que o álbum é tocado. A linha de baixo está agressiva e bem executada por Alan Delong. O teclado aqui também começa a ser mais percebido e assim seria durante o decorrer do álbum… Ai você pensa: Uma banda de Heavy Metal que toca músicas com teclados totalmente perceptiveis?… Ai eu te respondo: É… Uma belissima banda de Heavy Metal que tem ótimos Line Ups de teclados muito bem executados e  arranjados bem disposto nas músicas… We Came to Rock é uma das melhores deste!

3 – Love Games (4:15)     5/5

A introdução de Love Games lembra um pouco o som da banda sueca Europe, pois é dada por um mini-solo de teclado… A terceira música de Future World é um Hard Rock de primeira, tem um refrão grudento e uma boa melodia. O solo de guitarra de Ken Hammer aqui é sensacional. A música depois de Future World foi a que mais se destacou para a mídia e também para os fãs. Chegou até a ganhar videoclipe. Destaque também para a linha de baixo de Alan Delong que é muito perceptivel e boa!

4 – Yellow Rain (5:31)     5/5

Yellow Rain tem seus primeiros segundos dado por um dueto entre a voz grave de Ronnie Atkins e o violão de Ken Hammer. É uma música que tem sua metade sendo tocada por um violão de riff calmo e sua outra metade sendo tocada por uma guitarra de riff pesado, uma bateria acelerada e um Ronnie Atkins de voz agressiva! Uma das únicas que utiliza muito pouco o teclado! Forma junto com as 3 canções anteriores o ápice do álbum!

5 – Loud ‘ n’ Proud (3:52)    3,5/5

A 5ª faixa do álbum começa pesada com um riff de guitarra e o teclado abrindo as portas! Loud  ‘n’ Proud não é uma música sensacional, não tem um belíssimo solo de guitarra (até tem, mas não empolga como os anteriores) e tem um riff de guitarra simples. O baixo novamente aqui é evidente e possui uma linha simples. É uma das mais aceleradas do álbum e possui um refrão muitas vezes cantado. Não é de toda ruim, não faz com que o álbum perca drásticamente a qualidade. Só que comparada com as 4 perfeições anteriores é ruim!

6 – Rodeo (4:16)     3,5/5

Hammer dá a introdução da 6ª faixa do álbum com um belo riff de sua guitarra! Rodeo é menos pesada que a anterior e tem a presença de teclados audíveis em quase todos os seus 4 minutos. Não é uma música que chega a empolgar. Tem um refrão que não se torna memorável. Mas o riff de baixo, combinado com o solo de guitarra de Hammer aqui é sensacional, o ponto alto de toda canção, pena que só dura 20 segundos! A partir daqui o álbum começa a perder o brilho que tinha conseguido nas suas primeiras canções!

7 – Needles in the Dark (5:03)     3,5/5

Needles in the Dark é uma boa música! Tem uma letra que fala meio que indiretamente sobre a AIDS e tem um belo refrão, cantando totalmente em coro. A voz de Ronnie aqui é mais rasgada… Entretanto em seus quase 5 minutos a última parte cantada de seu refrão é extremamente enjoativa!

8 – Eye of the Storm (4:59)    4/5

Eye of the Storm é uma balada puramente Heavy. Tem uma bela letra e parece que a qualquer momento vai estourar e ficar pesada com uma super guitarra. Mas isso não acontece…A guitarra chega a ser tocada em determinadas partes, mas não dá peso a música que termina lenta, como seu começo!

9 – Long Way to Go ( 3:27)     5/5

A última música desse que pode ser considerado a obra prima do Pretty Maids é energética e é cantada por um Atkins agitado e de voz potente, que tem ótima ajuda dos backing vocals. O vocalista aqui está em uma de suas melhores apresentações! O refrão pode ser considerado um dos melhores do álbum, com os teclados novamente evidentes! Encerra de boa forma um dos melhores álbuns de Metal já feitos na história por uma banda dinamarquesa!

Todas as músicas foram escritas por Ronnie Atkins e Ken Hammer.

Média do Álbum: 8,5/10

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: