(1991) Alice Cooper – Hey Stoopid


Capa do álbum

Hey Stoopid é o décimo nono álbum de estúdio da “Tia Alice” e praticamente encerra a fase mais comercial do cantor. Após o fracasso de vendas em seus álbuns na década de 80 com exceção de Trash, Hey Stoopid foi lançado em julho de 91 e o álbum conta com diversos convidados como Mick Mars e Nikki Sixx do Mötley Crüe,Steve Vai, Joe Satriani, Ozzy Osbourne entre outros. O álbum mais parece um apunhalado de canções que não entraram em seu antecessor “Trash”,  mas nem por isso deixa de ser bom.

Destaque: Wind-Up Toy, Hey Stoopid

1. “Hey Stoopid” (Alice Cooper, Vic Pepe, Jack Ponti, Bob Pfeifer) – 4:34 5/5

Hey Stoopid abre o álbum de forma majestrosa, a música atingiu um certo sucesso nos Estados Unidos e na Austrália e aqui já temos um time de peso fazendo participação: com as Guitarras Joe Satriani e Slash (Que mais tarde faria outra participação com Alice, em seu Along Came a Spider, de 2008), backing vocals de Ozzy Osbourne, e sim, é uma música comercial mas consegue cativar do início ao fim.



2. “Love’s a Loaded Gun” (Cooper, Pepe, Ponti) – 4:11
4/5

Segundo single do álbum, não atingiu o mesmo sucesso de Hey Stoopid, contudo é uma boa semi-balada que empolga um pouco e tem um belo refrão, mas a música em si não marca.

3. “Snakebite” (Cooper, Pepe, Ponti, Pfeifer, Lance Bulen, Kelly Keeling) – 4:33 3/5

Outra faixa que não chega a empolgar, não que seja ruim, mas após a excelente Hey Stoopid e a mediana Love’s a loaded gun, Snakebite não chega a agradar tanto, novamente o grande destaque vai para o refrão.

4. “Burning Our Bed” (Cooper, Al Pitrelli, Pfeifer, S. West) – 4:34
4/5

A introdução no violão que abre com Sol Maior lembra muito “Wish You Were Here” do Pink Floyd e novamente com Joe Satriani nas guitarras, Alice parece ter encontrado a inspiração que faltou nas duas faixas anteriores. O Destaque fica por conta do solo de guitarra que é  impecável.

5. “Dangerous Tonight” (Cooper, Desmond Child) – 4:41 5/5

Atmosfera de início perfeita, riff principal mais ainda, uma das melhores do álbum com certeza, pena que não é tocada nos shows pois é uma obra prima do hard rock. E aqui também vemos Desmond Child mais uma vez aparecendo entre os grandes nomes da música dessa época.

6. “Might as Well Be on Mars” (Cooper, Dick Wagner, Child) – 7:09
4/5

Faixa mais longa do álbum, era pra ter sido o último single do álbum mas acabou ficando na gaveta, tem um início melancólico e é uma bela balada, peca um pouco no refrão mas novamente o solo é o ponto alto, mérito para Joe Satriani.

7. “Feed My Frankenstein” (Alice Cooper, Zodiac Mindwarp, Ian Richardson, Nick Coler) – 4:44 5/5

Um dos pontos altos do álbum, uma música que é tocada até hoje nos shows da Tia Alice, com Nikki Sixx no baixo, possuí todos os elementos do Hard Rock Comercial, é uma ótima faixa e com um solo impecável (sim, novamente elogiado).

8. “Hurricane Years” (Cooper, Pepe, Ponti, Pfeifer) – 3:58
3/5

Um dos temas mais batidos feitos no Hard Rock, a faixa não chega a ser ruim, mas para um mercado já saturado de músicas “Fora-da-lei”, Hurricane só enche linguiça, como dá pra perceber em seus primeiros versos: “I got a ticket to to nowhere, I got no respect for the law”.

9. “Little by Little” (Cooper, Pepe, Ponti, Pfeifer) – 4:35 3/5

Aqui é apenas “mais do mesmo”, e tem uma linha de baixo um tanto quanto repetitiva que chega a enjoar, o refrão é cansativo e não empolga, embora o coro ao fundo deixa a música um pouco melhor.

10. “Die for You” (Cooper, Mick Mars, Nikki Sixx, Jim Vallance) – 4:16 5/5


Outra balada do álbum, agora também escrita também por Nikki Sixx e Mick Mars do Mötley Crüe, aqui o álbum volta a subir de nível e com um belo e simples solo executado por Mars, Alice mostra que o Hard Rock ainda tinha algumas pérolas para serem lançadas.

11. “Dirty Dreams” (Cooper, Pfeifer, Vallance) – 3:29 3/5

O álbum retorna a mesmice de algumas faixas anteriores aqui, as faixas não são ruins mas fica uma sensação de Deja Vu, destaque para os solos de gaita no meio da música, que a diferencia um pouco das demais.

12.”Wind-Up Toy” (Cooper, Pepe, Ponti, Pfeifer) – 5:27 5/5

Fantástica, uma das melhores músicas de toda a carreira da Tia, além de conter a primeira aparição em 15 anos de Steven, personagem criado por Alice no álbum “Welcome to my nightmare” de 1975, a canção fala sobre drogas e sobre o que aconteceu com Steven. Com Joe Satriani nas guitarras mais uma vez.

13.”It Rained All Night” (Japanese Bonus Track) – 3:54 4/5

Faixa bônus japonesa, tem um riff cativante e uma levada divertida, poderia ter facilmente entrado no lugar de alguma outra faixa.

Média do álbum: 8/10

Alice Cooper

 

, , , , , , , , , , ,

  1. (1992) Black Sabbath – Dehumanizer « Roque Veloz /,,/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: