(1973) Pink Floyd – The Dark Side of The Moon


Capa do album

“The Dark Side of The Moon” é o nome do oitavo albúm da banda inglesa de rock progressivo Pink Floyd. É um albúm conceitual que fala das pressões da vida, como tempo, dinheiro, guerra, loucura e morte.

Por muitos, é considerado o melhor albúm do Pink Floyd. A partir desse album, a banda começa a soar menos “psicodélica” (Como em “Atom heart Mother” e “The Piper at the gates of dawn”).É um marco na história do Rock progressivo, pois possui musicas que acabaram sendo muito bem aceitas pelas rádios da época e de até hoje (como Money e Time).É, também, um dos albuns mais vendidos da história.

A capa não possui nenhum significado particular.

Enfim, é indispensável para qualquer pessoa que queria começar á decobrir o rock progressivo.

Melhor música: Time

Gosto bastante da atmosfera de Time. Comentarei mais á frente sobre isso

Pior música (menos melhor haha): Any Colour you like


Apesar de ser um instrumental bem legal, é a música mais “fraca”do album.

LP original de 1973

Cada lado do album é uma continua peça de música.As cinco faixas em cada lado refletem varios estagios da vida humana, começando e terminando com batidas de coração, explorando a natureza da experiencia humana e, ( de acordo com Waters) , “empatia.”

Lado A

  • 1-“Speak to Me
  • 2- “Breathe (Nick Mason, David Gilmour, Roger Waters, Rick Wright) – 3:59 (5/5)

Uma ótima maneira de se iniciar um album conceitual. Inicia com batidas de coração e algumas vozes…então esse “fundo” vai crescendo até chegar na música “Breathe”.

Breathe é uma música linda. Uma melodia um tanto quanto “funk”, contudo, com muito felling.Não há como não cantar “breeeaathee…breathe in the aiiirr”.

A musica enfoca o “stress”continuo enquanto vivemos ( “don’t be afraid to care”).


  • 3 – “On the Run” (Gilmour, Waters) – 3:33(3/5)

“On the Run” trata do stress e ansiedade da viagem moderna, em particular de Richard Wright ( tecladista) que possui medo de voar.

A música possui varios efeitos de sintetizadores além de varios samplers de vozes, efeitos  e etc.Vale a pena ser ouvida com headfones

  • 4 – Time (containing breathe reprise)(5/5)

Time é uma das “masterpieces”do albúm. é a partir dela que você começa a perceber que esse albúm não é um albúm qualquer.É uma ótima canção com tudo oque se tem direito: Bons vocais, solo de guitarra, dinamica e etc.

A música critica o tempo e como nós o temos atualmente.Como nós o desperciçamos e etc. Em especial, no verso “Every year is getting shorter, never seem to find the time” (cada ano está ficando mais curto, parecendo que nunca temos tempo) que é uma critica sobre o que temos vivido até hoje: muitas coisas para fazer, pouco tempo para executá-las.Coisas, sobretudo, fúteis, que serão consideradas mais á frente em “money”.

Time, para mim, é considerada a melhor música por gostar muito da atmosfera dela. Ela tem um felling muito especial.Além disso, acho o tema dela bem legal, ‘só perdendo para money e brain damage.

  • 5 –
“The Great Gig in the Sky” (5/5)

The grat gig in the sky é sobre a morte. Por ser uma faixa instrumental e cantada solo, sem letras, apenas com melodias, o conceito dela está todo no título.

É uma metáfora para a morte.

é uma música espetacular. Desde a primeira vez que ouvi, toda vez que eu ouço eu fico impressionado com a qualidade dessa musica.É uma melodia extremamente bonita, uma música com muita dinamica e uma ótima vocalista.

Assim, o lado A do album sem encerra, com mais batimentos de coração.

Lado B

  • 1 -“Money” (Waters) – 6:24 (5/5)

Money inicia-se com sons de caixa registradora, papeis sendo rasgados, moedas sendo jogadas, que foram gravados separadamente.

É uma música incrivel. A letra faz uma critica direta ao consumismo e á necessidade de dinheiro e o quanto ele é valorizado. Além disso, fala de egoísmo e ambições fúteis.

Possui um solo de sax e um solo de guitarra, ambos muito bons. O riff principal da musica está praticamente nela toda. Muito puxado para o blues e para o funk, “Money” acabou sendo a musica mais comercializada do album, tendo sido gravada como “cover” por várias outras bandas.

  • 2 -” Us and Them” (Wright, Waters) – 7:49(4/5)

Us and them é uma música depressiva. Fala do isolamento das pessoas e dos relacionamentos vazios.

Uma música triste…mas bonita.Possui uma dinamica bem legal. Durante os versos ela é bem calma, contudo, cresce drasticamente durante os “refrões”. Alem disso, possui um solo de saxofone muito bonito.

  • 3 – “Any Colour you like”(Gilmour, Wright, Mason) – 3:26(4/5)

Any colour you like é um instrumental bem funk.Acho ela bem legal, mas a mais “fraca”do album Não por ser “fraca” , mas sim pelo fato de o album ser forte demais. Cada faixa possui um significado singular, coisa que não há em “any colou you like”. Contudo, é bem legal por causa dos efeitos de teclado e da melodia.Não existe uma faixa ruim em “The Dark Side of The Moon”

  • 4 – Brain damage (Waters) – 3:50 (5/5)

Brain damage fala sobre doenças mentais resultadas da fama e sucesso acima das necessidade pessoais.Em particular, o verso “and if the band you’re in starts playing different tunes” que refere-se á queda de Syd Barret, afastado da banda por insanidade mental um tempo antes.

  • 5 -Eclipse (Waters) – 2:04 (5/5)

Eclipse fecha o albúm falando sobre unidade e alteridade, enquando leva o ouvinte a reconhecer os traços comuns compartilhados peela humanidade.

É uma musica ótima. Para se fechar um album mesmo. Uma musica bem “crescida”, bem “lá no alto” mesmo. Após se ouvir o albúm inteiro, não há como não ficar impactado pela atmosfera da musica.


Média do album: 4,8/5

Curiosidades:

Estima-se que 1 em cada 14 pessoas com menos de 50 anos, nos EUA tenha uma cópia deste álbum.

O álbum contém alguns dos mais complicados usos dos instrumentos e efeitos sonoros existentes à época, incluindo o som de alguém correndo à volta de um microfone e a gravação de múltiplos relógios a tocar ao mesmo tempo. Uma versão quadrifónica, foi também editada com novas misturas. Durante as gravações os Pink Floyd desenvolveram novos efeitos tais como gravações em duas pistas das vozes e guitarras (permitindo a David Gilmour harmonizar consigo próprio impecavelmente), vozes dobradas e efeitos estranhos com ecos e separação dos sons entre os canais. Até hoje, Dark Side of the Moon é uma referência para os audiófilos que o usam para testar a fidelidade dos equipamentos de áudio.

Outra característica do álbum são os trechos de diálogos entre as faixas. O Pink Floyd entrevistou várias pessoas, perguntando-lhes coisas relacionadas com os temas centrais do álbum, como a violência e a morte. O roadie “Roger The Hat” aparece em mais que uma (“giv’em a quick, short, sharp, shock…”, “live for today, gone tomorrow, that’s me…”). A frase no fim do álbum “there is no dark side of the moon really… matter of fact it is all dark” é do porteiro do estúdio Abbey Road, o irlandês Jerry Driscoll. Paul McCartney foi também entrevistado mas as suas respostas foram consideradas demasiadamente cautelosas para serem incluídas

Dark Side of the Moon é o álbum que ficou por mais tempo na Billboard 200, tendo permanecido 741 semanas consecutivas, pouco mais de 14 anos. O álbum chegou a Nº 1 nos EUA, Bélgica e França, até em 2002, 30 anos após o seu lançamento, foram vendidas nos EUA mais de 400.000 cópias, fazendo do álbum o 200º mais vendido desse ano.Em 2003 mais de 800.000 cópias do híbrido SACD de Dark Side of the Moon foram vendidas apenas nos EUA.”Time”, “Money”, e “Us and them” foram bastante tocadas nas rádios (sendo o single “Money” um sucesso de vendas também).

Diz-se que existe uma relação entre o album “The dark side of the moon” e o filme “o Magico de Oz”.Essa relação foi apelidade de “dark side of the rainbow” , e pode ser encontrada informaçoes sobre facilmente na internet. Os fãs da banda, contudo, afirmam que não passa de uma coincidencia.

Este que vos escreve considera o album “The Dark Side of The Moon” um dos melhores albuns já gravados. Foi o primeiro albúm de rock progressivo que ficou viciado e, por gostar muito do album, possui um espelho em seu quarto que faz referencia á capa do albúm.

Gostou? Comente, e não se esqueça da média em estrelas lá em cima😉

“There’s no dark side of the moon really. Matter of fact, it’s all dark.”

, , , , ,

  1. #1 por Igor Maxwel em 25/11/2015 - 19:25

    DSOTM é simplesmente o melhor álbum da história do rock progressivo, o único disco que pode destronar o Pink Floyd é “Selling England by the Pound” do Genesis, também lançado em 1973.

  1. (1977) Pink Floyd – Animals « Roque Veloz /,,/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: